Miguel Oliveira: «Faltou-me consistência, esta época quero melhorar»

27 jan, 11:15

Piloto português conheceu as novas cores da KTM para o Moto GP de 2022

Na apresentação das novas cores da KTM para 2022, o português Miguel Oliveira foi uma das vozes que narrou as novidades, com o azul do patrocinador principal a predominar nas motas da equipa oficial.

«Tudo está relacionado com o homem e a sua máquina. Conheço cada detalhe do conjunto. É uma espécie de perfeição», disse o piloto português.

Nas primeiras declarações de antevisão à nova temporada à assessoria de imprensa da equipa, Miguel Oliveira lembrou que a equipa deu, em 2021, «um enorme passo em frente em quatro corridas», com a conquista de «três pódios e uma vitória».

A trajetória do piloto de Almada foi interrompida devido a uma fratura no pulso e, a partir de então, as corridas tornaram-se «realmente duras», mas Oliveira diz este foi «um momento de aprendizagem».

«Faltou-me consistência e obviamente esta época quero melhorar isso. Nunca é fácil ir ao limite e ao mesmo tempo pensar em acabar a corrida. Diria que se tivesse sido capaz de somar pontos em todas as provas, no final do campeonato o resultado poderia ter sido diferente. Por isso, agora quero tirar o máximo partido do meu potencial, da moto e de toda a equipa, de modo a transformar isso em resultados», frisou.

«A meta agora é sermos consistentes todos os fins de semana, entrar no top cinco e lutar pelo pódio na classificação final do campeonato. Sei que a fasquia está alta porque os outros fabricantes também têm ambições, mas nós estamos fortes: temos a equipa, a base, a moto e os pilotos», acrescentou o diretor da KTM, Pit Beirer.

O piloto português falou ainda da campanha publicitária que fez com o Cristiano Ronaldo para um patrocinador comum e mostrou-se disponível para uns passeios de mota com o jogador do Manchester United. «Estou longe do que o Cristiano conquistou no seu desporto, mas tenho a mesma vontade que ele em conquistar títulos. Foi bom fazer a campanha. Este mês tem sido ‘non stop’ e estou grato por ter a oportunidade de ser a imagem do MotoGP em Portugal. Em tempo de pandemia, [a mota] é um modo de transporte mais fácil, sem manter contactos com ninguém. Há mais risco de contágio nos transportes públicos. Talvez ajude a que mais pessoas comprem motas em Portugal», disse ainda o piloto da KTM.

Aos 27 anos, Miguel Oliveira parte paro o quarto ano no Moto GP, onde soma três triunfos com a KTM. A última temporada não correu de feição ao português, que terminou no 14.º lugar. As queixas técnicas dos pilotos quanto às motas levaram a própria equipa a contratarem um novo diretor desportivo, o italiano Francesco Guidotti.

«Guidotti trará a sua experiência e sensibilidade na categoria para melhorar a preparação das motas, focada puramente nos resultados», anunciou a KTM.

Miguel Oliveira vai ter, mais uma vez, o sul-africano Brad Binder como colega de equipa, depois de terem partilhado as boxes em 2021 e na equipa de Moto2. O espanhol Dani Pedrosa e o finlandês Mika Kallio são os pilotos de testes.

O campeonato de Moto GP arranca a 6 de março, em Losail, no Qatar. Antes disso, estão agendados os testes de pré-temporada, na Malásia, a 5 e 6 de fevereiro, e em Mandalika, na Indonésia, na semana seguinte.

Veja o vídeo de apresentação da nova mota da KTM:

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Patrocinados