"God save the queen" passa a "God save the king" - e as mudanças abrangem moedas, selos e Camilla

8 set, 20:35
Rainha Isabel II (Associated Press)

A morte da monarca britânica vai gerar uma série de cerimónias e alterações que estão devidamente planeadas. E há um protocolo a seguir

Com a morte de Isabel II, Carlos, o filho mais velho e primeiro na linha de sucessão ao trono, torna-se automaticamente rei e William, o filho mais velho de Carlos, é agora o príncipe herdeiro.

O hino nacional, "God Save the Queen", passa a "God Save the King", tal como era quando a rainha subiu ao trono, em homenagem ao rei George VI, pai de Isabel II.

A coroação de Carlos fica para mais tarde, mas a imagem da rainha Isabel II, usada por exemplo na moeda e em selos de correio, começa já a desaparecer. 

A morte da monarca britânica vai gerar uma série de eventos e cerimónias que estão devidamente planeadas e há um protocolo rígido a seguir. Isabel II terá um funeral de Estado na Abadia de Westminster, em Londres, que deverá acontecer dentro de dez dias. 

Para já, esta sexta-feira, dia seguinte ao dia D, da morte da rainha, haverá uma proclamação oficial do novo rei. Sublinhe-se que será apenas uma proclamação e não uma coroação - a coroação propriamente dita não deverá acontecer nos próximos dias. Nesta sessão de proclamação, esta sexta-feira, é expectável que a mulher do rei, Camilla, Duquesa da Cornualha, esteja presente e o seu novo título seja revelado - Isabel II expressou publicamente o desejo de que Camila fosse "rainha consorte".

O caixão de Isabel II deverá chegar ao Palácio de Buckingham dentro de dois dias após a morte. Como a morte ocorreu na Escócia, o corpo deverá seguir para Londres num comboio. Se não for possível a viagem de comboio, o transporte será feito por avião. Haverá uma cerimónia de receção mal o caixão chegue à capital britânica. 

Depois de uma cerimónia de condolências no parlamento britânico, Carlos vai viajar pelo Reino Unido para participar em cerimónias de condolências nos restantes territórios britânicos. A primeira paragem será na Escócia - o rei vai estar no parlamento escocês e na catedral de Edimburgo, depois Carlos seguirá para a Irlanda do Norte e por último para Gales. 

Dentro de cinco dias, o caixão da rainha deverá ser transportado numa procissão desde o palácio de Buckingam até ao parlamento britânico, onde deverá ocorrer uma cerimónia de homenagem. O caixão da rainha deverá ficar em Westiminster Hall durante três dias. 

No sexto dia após a morte, haverá uma cerimónia na Capela de São Jorge, em Windsor.

É também a partir do sexto dia e durante três dias que o público poderá ver o caixão da rainha, em Westimenter Hall. Haverá um sistema de senhas para agilizar o processo de visitas.  

Por fim, ao décimo dia, o funeral da rainha: vai realizar-se na Abadia de Westminster, envolvendo a família, os ministros e as mais altas figuras políticas mundiais. 

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados