OMS prepara-se para avaliar se surto de Monkeypox pode constituir emergência de saúde pública internacional

14 jun, 15:30
Monkeypox (Cynthia S. Goldsmith, Russell Regner/CDC/AP)

Trata-se do nível mais elevado de alerta de saúde pública

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai convocar uma reunião para esta quinta-feira para avaliar se o surto de Monkeypox constitui uma emergência de saúde pública internacional, avançam as agências de notícias internacionais.

“O surto global de Monkeypox é claramente incomum e preocupante. Por isso, decidi convocar o Comité de Emergência, ao abrigo dos regulamentos internacionais, para a próxima semana para aferir se este surto representa uma emergência internacional de saúde pública”, anunciou o diretor-geral da OMS em conferência de imprensa.

Tedros Adhanom Ghebreyesus justificou esta avaliação do Comité de Emergência da OMS pelo facto de o vírus “estar a comportar-se de uma forma incomum”, além do crescente número de países com casos confirmados de infeção e a necessidade de uma resposta coordenada, tendo em conta a dispersão geográfica que a doença regista atualmente.

Este é o nível mais elevado de alerta emitido pela Organização das Nações Unidas (ONU), que atualmente se aplica apenas à pandemia de covid-19 e poliomiolite.

Até ao momento, a OMS contabilizou já 1.600 casos de infeção pelo vírus Monkeypox e 1.500 casos suspeitos em 39 países. Em Portugal, as autoridades de saúde confirmaram esta terça-feira mais 22 casos de infeção pelo vírus Monkeypox em Portugal, totalizando até agora 231 doentes.

A manifestação clínica da Monkeypox é geralmente ligeira, com a maioria das pessoas infetadas a recuperar em poucas semanas da doença.

Os sintomas incluem febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, nódulos linfáticos inchados, calafrios, exaustão, evoluindo para uma erupção cutânea.

O período de incubação é tipicamente de seis a 16 dias, mas pode chegar aos 21 e, quando a crosta cai, a pessoa infetada deixa de ser infecciosa.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados