Confirmados mais nove casos de Monkeypox em Portugal, 23 no total

20 mai, 12:54

Direção-Geral da Saúde informou em comunicado que os casos de Monkeypox detetados em Portugal são do subgrupo do vírus menos agressivo. Infetados estão "estáveis e em ambulatório"

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informou esta sexta-feira que foram confirmados mais nove casos de infeção por vírus Monkeypox em Portugal, elevando para 23 o total de casos da doença em território nacional.

Em comunicado, as autoridades de saúde referem que estão a aguardar resultados "relativamente a outras amostras", acrescentando que "os novos casos foram confirmados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), esta quinta-feira, dia 19, ao final do dia. Entre as amostras disponíveis, foi identificada ontem, através de sequenciação, a clade (subgrupo do vírus) da  África Ocidental, que é a menos agressiva".

O comunicado da DGS informa também que os casos identificados "mantêm-se em acompanhamento clínico, encontrando-se estáveis e em ambulatório" e que estão em curso os inquéritos epidemiológicos dos casos suspeitos que vão sendo detetados, "com o objetivo de identificar cadeia de transmissão e potenciais novos casos e respetivos contactos".

A DGS apela ainda a que os indivíduos que "apresentem lesões ulcerativas, erupção cutânea, gânglios palpáveis, eventualmente acompanhados de febre, arrepios, dores de cabeça, dores musculares e cansaço" procurem aconselhamento clínico.

Perante sintomas suspeitos, o doente deverá " abster-se de contacto físico direto com outras pessoas e de partilhar vestuário, toalhas, lençóis e objetos pessoais enquanto estiverem presentes as lesões cutâneas, em qualquer estadio, ou outros sintomas".

A DGS refere ainda que continua a acompanhar a situação a nível nacional em articulação com as instituições europeias.

Mais  casos a nível europeu

Já esta sexta-feira, vários países europeus têm reportado a subida do número de infeções por Monkeypox. Espanha confirmou mais 23 casos, elevando para 30 o total de infetados. Também Alemanha e França confirmaram entretanto os primeiros casos, sendo que a doença já tinha sido detetada também no Reino Unido, Estados Unidos e Canadá. Surtos desta dimensão não são habituais. 

O Monkeypox é uma doença rara causada por um vírus ao qual foi dado o mesmo nome. Sabe-se que pertence aos vírus do tipo Ortopoxvírus, tal como o vírus da varíola comum ou aquele que causa a varíola das vacas.

A forma como este vírus se instala nos seres vivos é, no entanto, desconhecida, sabendo-se apenas que mamíferos como roedores e primatas originários de África podem ser hospedeiros da doença e transmiti-la aos seres humanos. É aquilo a que se chama uma doença zoonótica, tal como a covid-19, porque é transmitida de animais para humanos.

Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças da Europa (ECDC, na sigla original) destaca que este vírus é o mais prevalente do tipo Ortopoxvírus desde a erradicação da varíola comum.

De acordo com o CDC, os efeitos da varíola dos macacos em seres humanos são semelhantes, embora menos graves, aos verificados numa infeção por varíola comum. A doença começa com febre, dores de cabeça, espasmos musculares e cansaço. A grande diferença entre a varíola dos macacos e a comum é que a primeira provoca inchaço nos nódulos linfáticos.

Assim que aparece a febre, até três dias depois devem manifestar-se também sintomas dermatológicos, como o aparecimento de zonas irritadas na pele. É também comum outros sintomas na pele como máculas, pápulas, vesículas, crostas ou pústulas.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados