Judocas com tolerância zero: «Não esquecemos como fomos tratados»

16 ago, 23:47
Telma Monteiro

Atletas temem represálias depois da carta aberta a contestar o presidente da federação

Satisfação pelos acordos alcançados mas «tolerância zero» relativamente ao que consideram faltas de respeito, perante o receio assumido de represálias.

É esta a posição dos judocas que assinaram uma carta aberta a contestar a Federação Portuguesa de Judo, e em particular Jorge Fernandes, o presidente do organismo em particular. Isto depois da reunião desta terça-feira entre o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Correia, o presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, e o líder da Federação Portuguesa de Judo (FPJ), Jorge Fernandes, à qual se seguiu um encontro do governante com os judocas.

«Não esquecemos como fomos tratados, continuamos em tolerância zero com qualquer falta de respeito que possa continuar a acontecer. Deixámos claro que receamos represálias, mas que fique também claro que iremos continuar a expor e reportar qualquer situação de falta de respeito e consideração, assim como caso não se verifique um cumprimento daquilo que ficou decidido nesta reunião”, pode ler-se na nota publicada por Telma Monteiro nas redes sociais, e que também foi divulgada por outras subscritoras da carta aberta, no caso Rochele Nunes e Patrícia Sampaio.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Correia, anunciou, entre outras medidas, que vai existir um ajuste no valor pago aos judocas para apoios a deslocação, como resultado da reunião com a Federação Portuguesa de Judo e o Comité Olímpico de Portugal (COP).

 

Relacionados

Patrocinados