GNR desmantela rede de roubo e revenda de material agrícola

Agência Lusa , MM
16 jul, 10:33
Unidade de Intervenção da GNR (Lusa/Tiago Petinga)

Dois homens foram detidos. Investigação começou há cerca de 10 meses

A GNR desmantelou, em Mirandela, no distrito do Bragança, uma rede organizada que se dedicava a furtos em armazéns agrícolas e à revenda do material roubado, tendo detido dois homens, anunciou aquela força de segurança este sábado.

"O Comando Territorial de Bragança, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Mirandela, no dia 14 de julho [quinta-feira], desmantelou uma rede organizada que se dedicava a furtos em armazéns agrícolas e à recetação do material furtado, no concelho de Mirandela", pode ler-se num comunicado hoje divulgado.

Segundo a guarda, "a investigação começou há cerca de 10 meses e, no dia 08 de junho, os militares da Guarda recuperam dezenas de objetos furtados, sendo que no decorrer dessa ação foi possível identificar os suspeitos".

Na quinta-feira "foi dado cumprimento a quatro mandados de busca domiciliária e a cinco em veículos e armazéns agrícolas, nos concelhos de Mirandela, Alfandega da Fé e Macedo de Cavaleiros".

A operação levou à apreensão de duas armas de fogo, uma pistola de alarme, 50 munições e dezenas de alfaias agrícolas e ferramentas, de acordo com a GNR.

Foram também "detidos dois homens de 35 anos, tendo ainda sido constituído arguido um terceiro homem de 39 anos pelos crimes de furto e recetação".

"O grupo era composto por dois homens que cometiam os furtos e um outro homem que comprava os bens furtados por um valor comercial muito inferior, para seguidamente os revender por todo o distrito de Bragança, originando assim lucros para todos os elementos que compunham a rede", detalha a GNR.

A guarda assegura ainda que "os objetos recuperados serão devolvidos aos seus legítimos proprietários", tendo os factos sido remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Flor.

"A operação contou com o reforço dos Núcleos de Investigação Criminal (NIC) de Bragança, Torre de Moncorvo e Miranda do Douro, do Núcleo de Apoio Operativo (NAO) de Bragança, da Secção de Informações e Investigação Criminal (SIIC) de Vila Real, da Secção de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC) de Mirandela e dos Postos Territoriais de Mirandela, Torre de Dona Chama, Vila Flor e Carrazeda de Ansiães", conclui o comunicado hoje divulgado.

País

Mais País

Patrocinados