Défice das contas públicas de 2021 reduziu 2.862 milhões em relação a 2020

Agência Lusa
27 jan, 16:10
João Leão, ministro das Finanças

A evolução resulta de um crescimento da receita de 9,3% superior ao crescimento da despesa de 5,2%

O Estado fechou o ano de 2021 com um défice em contabilidade pública de 8.794 milhões de euros, uma melhoria de 2.862 milhões de euros face ao período homólogo, anunciou esta quinta-feira o Ministério das Finanças.

"Em 2021 o défice das Administrações Públicas em contabilidade pública melhorou 2.862 ME [milhões de euros] face a 2020, reduzindo-se para 8.794 ME", explica o ministério tutelado por João Leão num comunicado divulgado esta quinta-feira, em antecipação à Síntese de Execução Orçamental da Direção-Geral do Orçamento (DGO).

A evolução resulta de um crescimento da receita de 9,3% superior ao crescimento da despesa de 5,2%.

"A significativa melhoria da receita resulta da forte recuperação da economia e em particular do emprego. O crescimento da despesa resulta do impacto das medidas extraordinárias de apoio à economia e do forte crescimento da despesa no Serviço Nacional de Saúde (SNS)", refere o Ministério das Finanças.

Os dados divulgados esta quinta-feira pelo Governo são na óptica da contabilidade pública, que difere da contabilidade nacional, utilizada tradicionalmente pelas instituições para avaliação do saldo orçamental por Bruxelas, com base nos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Défice deverá ficar "abaixo" dos 4,3%

O Ministério das Finanças antecipa que o défice em contabilidade nacional, a que conta para as comparações internacionais, deverá fixar-se abaixo da meta de 4,3% prevista para 2021.

"A evolução do saldo em contabilidade pública permite antecipar que o défice em contas nacionais em 2021 deverá ficar significativamente melhor face a 2020 (5,8%) e abaixo do limite estabelecido para 2021 (4,3%), cumprindo-se assim, pelo sexto ano consecutivo, as metas orçamentais", refere o ministério tutelado por João Leão, em comunicado divulgado hoje.

Economia

Mais Economia

Patrocinados