Certificados de habilitações falsos da polícia: principal suspeito do esquema é um barbeiro

Daniela Rodrigues , (Artigo atualizado às 19:39)
8 dez 2023, 11:15
Militares

Subiu para oito o número de detidos no caso dos certificados de habilitações falsos e três unidades militares alvo de buscas. Entre os suspeitos detidos, estão três militares. Suspeitos recebiam até 800 euros em troca do favor

A Polícia Judiciária militar auxiliou nas buscas a três unidades militares. Oito pessoas foram detidas e três já foram constituídas arguidas. Sob investigação estão os crimes de falsificação de documentos e tráfico de estupefacientes. 

Esta sexta-feira a CNN Portugal já tinha avançado que tinha subido para oito o número de detidos na investigação do Ministério Público no DIAP de Lisboa por suspeitas da emissão de certificados de habilitação falsos que simulam que os titulares tinham o 12.º ano, muitos com o objetivo de ingressarem em forças militares e serviços de segurança. Entre os oito detidos há três militares das Forças Armadas, apuraram a TVI e a CNN Portugal.

Os crimes terão começado há vários anos, quando os suspeitos organizaram um esquema com o intuito de, a troco de elevadas quantias monetárias, venderem certificados de habilitações a pessoas que necessitavam de obter esse grau de ensino escolar. Em troca recebiam quantias até 800 euros. O esquema aconteceria nas instalações de uma barbearia e o barbeiro é o principal suspeito. Segundo informações recolhidas pela TVI/CNN Portugal o esquema era publicitado nas redes sociais para angariarem mais clientes.

Um dos detidos, que não pertence às forças de segurança, era o responsável pela adulteração dos certificados, supostamente emitidos pela Escola do Comércio de Lisboa. Depois de comprarem os certificados de habilitações de 12.º ano, os falsos titulares candidatavam-se a vários concursos públicos e privados, designadamente de acesso aos cursos das forças de segurança.

Haverá dezenas de elementos das forças e serviços de segurança a exercer funções com certificados de habilitação falsos.

 Esta investigação, que já decorre há cerca de 1 ano, teve início com uma denúncia de que existiam candidatos a frequentar a Escola Prática de Polícia (EPP) que não possuíam o 12.º ano de escolaridade, tendo apresentado certificados de habilitação literários falsos aquando do processo de candidatura à EPP.
 
No decorrer do processo de investigação foi possível chegar à identificação dos responsáveis pela produção e comercialização destes certificados.

No dia 5 foi dado cumprimento a 9 mandados de busca domiciliária e 8 mandados de busca não domiciliária - 3 dos quais em instalações militares – e 6 mandados de detenção. Além das detenções mencionadas foram ainda constituídos arguidos 3 suspeitos.
 
As buscas decorreram em Lisboa, tendo as buscas em unidades militares sido acompanhadas pela Polícia Judiciária Militar.
 
Foram apreendidos 6 certificados falsos, 4 computadores, 11 telemóveis, 1 impressora, 1 plastificadora, 1 carimbo, 1 viatura, 1 revólver de calibre .22, 204 munições de diversos calibres, 5 granadas de instrução, 2 granadas de mão, 1 bastão extensível e 240 euros em numerário.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Mais Lidas

Patrocinados