Investigação TVI/CNN leva à libertação de preso político bielorrusso que esteve 40 dias no Estabelecimento Prisional de Lisboa

5 dez 2022, 21:43

Mikailo Uladzimir nasceu em Minsk, na Bielorrússia, em 1988. Aos 20 anos foi detido por alegada associação criminosa e tráfico de estupefacientes. No entanto, a Ucrânia reconheceu que o jovem era alvo de uma perseguição política e, por isso, em 2014 concedeu-lhe um passaporte ucraniano com outro nome e outra data de nascimento

Uma investigação da TVI/CNN Portugal levou à libertação esta segunda-feira de um homem que estava prestes a ser extraditado para a Bielorrússia. Mikailo Ushakov, de 34 anos, esteve preso durante 40 dias no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL).

Poderia ser apenas uma questão de nome, mas neste caso fez toda a diferença. Mikailo nasceu com o nome Uladzimir em Minsk, na Bielorrússia, em 1988. Aos 20 anos foi detido por alegada associação criminosa e tráfico de estupefacientes por ele e alguns amigos estarem na posse de 13 gramas de marijuana e 21 gramas de um psicotrópico.

Nesta altura, já eram todos opositores políticos do regime russo. Foi aliás por essa razão que, em 2011, Mikailo viajou para a Ucrânia. Um ano depois, a Bielorrússia emitia uma mandado de detenção internacional. A Ucrânia reconheceu que o jovem era alvo de uma perseguição política e, por isso, em 2014 concedeu-lhe um passaporte ucraniano com o nome Mikailo Ushakov.

Foi com esse nome que viajou desde então. Em 2021 viajou para a Suíça e para Portugal e pouco depois para o México. De acordo com as autoridades ucranianas, que já escreveram ao Tribunal da Relação de Lisboa e ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, Mikailo é um defensor da Ucrânia na guerra contra a Rússia estando a apoiar ativamente a polícia ucraniana com informações sensíveis captadas no ciberespaço desde o início da ofensiva, a 24 de fevereiro. 

Ora, passados 10 anos após a emissão do mandado de detenção internacional pelo seu país Natal, Mikailo acabou detido em Portugal, país no qual tinha residência legalizada desde março deste ano, com uma autorização temporária válida até ao próximo ano.

Ao que a TVI/CNN Portugal conseguiu apurar, a Polícia Judiciária (PJ) intercetou-o para cumprimento do pedido de extradição bielorrusso a 29 de outubro deste ano, quando aterrou no aeroporto da Portela.

Mikailo explicou que 10 minutos depois de ter aterrado em Lisboa foi logo detido, mesmo não tendo com ele o passaporte bielorusso. Foi depois presente a um juiz do Tribunal da Relação de Lisboa que ordenou a prisão preventiva. Inicialmente, ficou detido nos calabouços da PJ e mais tarde transferido para o EPL. Foi aqui que a irmã, residente em Cascais, o foi buscar ao final da tarde desta segunda-feira após as movimentações do programa "Exclusivo". 

Por esclarecer fica o facto deste homem ter viajado durante anos sem nunca ter sido preso e de acabar detido justamente no país que lhe concedeu autorização de residência ainda este ano.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Mais Lidas

Patrocinados