"Ocean Viking", com 37 migrantes a bordo, enviado para porto italiano a quatro dias de navegação

Agência Lusa , AM
7 jan, 14:58
Navio humanitário Ocean Viking (Associated Press)

Organização SOS Méditerranée diz que decisão do governo de Giorgia Meloni "expõe os sobreviventes a ventos fortes e mar agitado"

O navio “Ocean Viking”, da organização SOS Méditerranée, recebeu autorização do Governo italiano para desembarcar no porto adriático de Ancona (centro), a cerca de quatro dias de navegação da zona onde este sábado resgatou 37 pessoas no Mediterrâneo Central.

"O ‘Ocean Viking’ foi remetido para Ancona, na Itália, como Local de Segurança para os 37 sobreviventes a bordo. O porto fica a 1.575 quilómetros da área de operação - quatro dias de navegação", escreveu aquela organização não-governamental (ONG) nas redes sociais.

A organização garantiu que "a previsão do tempo vai piorar a partir da noite de domingo", pelo que esta decisão do executivo presidido pela extrema-direita Giorgia Meloni "expõe os sobreviventes a ventos fortes e mar agitado".

O navio realizou hoje o primeiro e último resgate de 37 pessoas que viajavam numa embarcação precária, pouco depois de chegar à zona de resgate de Ravenna (norte), também na distante costa adriática e de onde havia zarpado na passada quarta-feira, depois de desembarcar 113 migrantes.

A ONG lamentou então esta “nova estratégia” do Governo de Meloni, que classificou de “portos distantes” depois dos “portos fechados” que já em novembro a haviam impedido de atracar na Sicília (sul).

Em 28 de dezembro, o governo italiano aprovou um novo decreto com medidas para impedir e combater essas organizações de resgate de migrantes, que acusa de promover a imigração irregular.

Em substância, o texto não impede o desembarque de imigrantes em Itália, mas complica-o, obrigando os navios das ONG a aceitar o porto designado, apesar de, como no caso de Ancona ou Ravenna, estar a centenas de quilómetros de distância.

Os resgates das ONG continuam e nos primeiros cinco dias do ano já desembarcaram na costa italiana 2.556 imigrantes que partiram do norte da África, contra 368 que o fizeram no mesmo período de 2022, segundo dados do Ministério do Interior.

Europa

Mais Europa

Patrocinados