Pelo menos 14 migrantes morreram em naufrágios no mar Egeu

Agência Lusa , BC
2 nov, 15:41
Migrantes no Mediterrâneo  (AP Photo/Jeremias Gonzalez)

Guarda costeira grega continua em operações de busca para encontrar sobreviventes

Pelo menos 14 migrantes morreram em dois naufrágios entre a segunda-feira e terça-feira no mar Egeu, próximo da Grécia, enquanto mais de 50 pessoas foram dadas como desaparecidas, declarou hoje a guarda costeira grega.

"Treze corpos foram recuperados por barcos de patrulha da polícia portuária ao largo da ilha de Eubeia", onde um veleiro afundou na madrugada de terça-feira com 68 pessoas a bordo, dez das quais foram resgatadas, disse à agência de notícias AFP um porta-voz da guarda costeira grega.

Além disso, o naufrágio de um barco insuflável na ilha de Samos, no leste do mar Egeu, na noite de segunda-feira deixou um morto e sete desaparecidos, segundo as declarações de cinco sobreviventes, sublinhou ainda a guarda costeira grega.

As autoridades portuárias vão continuar as buscas para encontrar possíveis sobreviventes, segundo a mesma fonte.

Os dois barcos, que enfrentaram agitação marítima nesta zona oriental do Mediterrâneo, estavam a navegar a partir da costa turca, uma das portas de entrada para refugiados que tentam chegar à Europa.

Esta travessia perigosa entre a Grécia e a Turquia é muitas vezes fatal, levando os dois países vizinhos a acusarem-se em relação à responsabilidade por esses afogamentos.

Pelo menos 30 pessoas morreram em outubro em dois naufrágios de barcos de migrantes no Mar Egeu.

Durante os primeiros oito meses do ano, a guarda costeira grega relatou o resgate de cerca de 1.500 pessoas.

Grécia, Itália e Espanha estão entre os principais países de chegada de migrantes da África e do Oriente Médio que desejam chegar à União Europeia (UE).

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados