Turista morre eletrocutado em piscina de hidromassagem numa estância no México

CNN , Emma Tucker, Andy Rose e Kara Mihm
25 jun, 17:18
Lizzette e Jorge Zambrano Foto Amber Romero

Mulher intenta ação judicial por homicídio involuntário contra empresas de viagens de estâncias turísticas mexicanas depois de o marido ter sido eletrocutado na banheira de hidromassagem

Uma mulher do Texas processou judicialmente por homicídio duas empresas mexicanas de viagens, pedindo mais de um milhão de dólares, depois de o seu marido ter sido eletrocutado na banheira de hidromassagem de uma estância no início deste mês.

Lizzette Zambrano, residente no condado de El Paso, Texas, EUA, acusa os "operadores, gestores e donos" do Sonoran Sea Resort, em Sonora, México, de serem "grosseiramente negligentes", o que levou ao ferimento dela e à morte de seu marido, Jorge Guillen, de acordo com o processo. Segundo o seu advogado, ela está agora a recuperar em casa.

“Quero que alguém se responsabilize pelo que aconteceu comigo e com o meu marido”, disse Zambrano ao programa Good Morning America, da ABC, numa entrevista no final da semana passada.

O casal estava de férias no resort a 11 de junho quando decidiu passar algum tempo na banheira de hidromassagem, segundo o processo. Assim que Guillen entrou na banheira, foi "exposto a uma corrente elétrica na água", refere o processo.

"Jorge caiu imediatamente na banheira e ficou debaixo da superfície da água", segundo o processo. "Testemunhando o colapso imediato do seu marido, Lizzette saltou do convés da piscina para tentar agarrar o corpo de Jorge ... "

Zambrano tentou salvá-lo, relata o processo, mas também sofreu um choque. Foi socorrida por uma pessoa que passava e levada para um hospital.

"Os clientes tentaram ajudar, agarrando numa vara de pastor e noutros objectos para tentar puxar o corpo de Jorge", afirma o processo. "No entanto, o metal dos objetos conduziu a corrente elétrica e começou a dar choques aos socorristas".

A ação judicial nomeia como arguidas as empresas de aluguer de férias Casago, LLC, Casago International, LLC e High Desert Travel, Inc.. A CNN contactou cada uma das empresas para obter comentários. As duas últimas não responderam de imediato.

Guillen sofreu choques durante 10 minutos e afogou-se debaixo de água, segundo o processo, antes de os funcionários da Casago e os outros arguidos "finalmente se terem disponibilizado e começado a ajudar a resgatar Jorge", diz o processo.

Zambrano disse à ABC: "Muitas pessoas saltaram, mas depois saíam porque os choques eram muito fortes".

Numa declaração à CNN, a Casago LLC disse: "Estamos devastados com o que aconteceu e os nossos corações estão com a família e as vítimas deste terrível incidente".

"O Sonoran Sea é um resort turístico e a associação de proprietários é responsável por todas as áreas comuns, incluindo a manutenção da piscina, banheiras de hidromassagem e terrenos. A Casago, uma empresa de aluguer para férias, não está envolvida em qualquer gestão ou manutenção da estância", continua o comunicado. "Relativamente a este incidente, o nosso envolvimento termina na reserva individual do condomínio."

A associação de proprietários não respondeu ao pedido de comentário da CNN.

Não é claro como ou se a Casago, LLC está ligada à Casago International LLC. Os registos corporativos mostram que a Casago International, LLC e a High Desert Travel, Inc. têm o mesmo endereço de escritório no Arizona e o mesmo executivo de topo. Os registos corporativos também mostram que a Casago LLC e a High Desert Travel partilham o mesmo número de telefone.

O juiz do condado de El Paso, Francisco X. Dominguez, concedeu uma ordem de restrição temporária na terça-feira, proibindo os arguidos ou qualquer pessoa que trabalhe com eles de alterar a banheira de hidromassagem. O juiz também ordenou que todas as provas de vídeo do incidente e todas as comunicações sobre o incidente entre os empregados dos arguidos fossem preservadas até, pelo menos, 2 de julho.

"A preservação destas provas é importante para a acusação do caso da Sra. Zambrano e é um primeiro passo crucial neste litígio, na esperança de evitar que este tipo de tragédia volte a acontecer", afirmou o advogado de Zambrano, Tej Paranjpe.

A ação judicial descreve Guillen como um pai "diligente, afetuoso, amoroso, compassivo, enérgico, cooperativo, paciente e atento, que dava orientação, conselhos, aconselhamento, proteção, conforto, serviços, cuidados e atenção à sua família".

"A sua morte privou Lizzette do amor e da companhia do marido e do direito a esse afeto, consolo, conforto, companheirismo e assistência", diz o processo.

 

Foto de topo: Lizzette e Jorge Zambrano, foto de Amber Romero

 

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados