Málaga e fundos: as razões da queixa que Horta quer enviar à FIFA

16 ago, 21:19
Ricardo Horta no Sp. Braga-Sporting

Jogador quer concretizar a transferência do Sp. Braga para o Benfica, mas sente que o futuro está a ser condicionado

Ricardo Horta está a preparar, juntamente com os seus representantes, uma queixa na FIFA contra o Málaga e contra os fundos de investimento que reivindicam direitos sobre o seu passe.

O internacional português está descontente com o impasse atual nas negociações com vista à sua transferência, do Sporting de Braga para o Benfica, e por isso decidiu reagir.

Ricardo Horta contesta as exigências que o Málaga tem feito, e que têm contribuído para o referido impasse, tendo em conta que o emblema espanhol exige receber 5,8 milhões de euros pela venda do avançado, tendo em conta a percentagem do passe que detém, e com base num acordo de 17,5 milhões de euros entre Benfica e Sp. Braga.

Na mesma perspetiva, a exposição que está a ser preparada também contesta a interferência dos fundos de investimento que já foram detentores de percentagens dos passe de Ricardo Horta. O jogador entende que isso também tem contribuído para o impasse, ainda que desde 2015 que a FIFA tenha proibido o “third-party ownership” (TPO), ou seja, que passes de jogadores sejam detidos por uma terceira parte, como empresários, agências ou fundos.

Ricardo Horta considera que esta participação no processo, para além de ilegal, está a condicionar o seu futuro, tanto desportiva como financeiramente, pelo que está a preparar uma queixa junto da FIFA.

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados