Recompensa de 250 mil dólares por informações sobre criança de 4 anos desaparecida nos EUA

CNN , Joe Sutton, Chris Boyette e Susannah Cullinane
7 mar, 23:00
Lina Sardar Khil foi vista, pela última vez, a 20 de dezembro de 2021.

Por causa de Lina Sadar Khil, a menina que desapareceu em dezembro de um parque infantil, em San Antonio, a recompensa que se oferece a quem tenha informações sobre o caso aumentou para os 250 mil dólares.

O Centro Islâmico de San Antonio está a oferecer 200 mil dólares por informações que levem ao regresso, em segurança, da menina. Além disso, o “site” San Antonio CrimeStoppers disse que dará "uma recompensa de 50 mil dólares, somente neste caso, por informações que levem à prisão ou indiciamento de um suspeito acusado de ter algum envolvimento no desaparecimento de Lina.”

Lina, que tinha três anos quando desapareceu, foi vista pela última vez a 20 de dezembro. A menina desapareceu depois de a sua mãe a deixar sozinha, durante algum tempo, no parque infantil no condomínio onde mora a sua família. Segundo a polícia, quando a mãe voltou, a sua filha tinha desaparecido.

De acordo com a polícia, a última vez que Lina foi vista usava um vestido vermelho, um casaco preto e calçava sapatos pretos. A menina tem a pele clara, pesa cerca de 25 quilos, tem olhos castanhos, o cabelo é liso e castanho.

Bill McManus, o chefe de Polícia de San Antonio, publicou no Twitter que todo o departamento ainda está focado em encontrar Lina.

McManus publicou: "Continuamos a esforçar-nos para encontrá-la. A Polícia de San Antonio continua a trabalhar com o FBI, de forma a encontrar Lina Sardar Khil, a menina que desapareceu a 20 de dezembro. A investigação continua em curso. Se tiver alguma informação, por mais insignificante que possa parecer ou pense que possa ser, contacte-nos. Telefone para a SEÇÃO DE PESSOAS DESAPARECIDAS DA POLICIA DE SAN ANTONIO, através do número 210 207-7660.”

A família da criança faz parte dos refugiados afegãos que moram em San Antonio. De acordo com o canal KSAT, uma filial da CNN, não se sabe ao certo quando eles chegaram aos Estados Unidos.

Em dezembro, McManus disse que devido à "natureza suspeita" do desaparecimento da menina, a polícia procurou nos contentores do lixo e em carros próximos, bem como no condomínio onde a família reside.

No início de janeiro, uma equipa do FBI de busca subaquática juntou-se às buscas.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados