Primeiro nevão do ano “acelera” hotelaria e restauração do Alto Minho

Agência Lusa , CF
19 jan, 17:06
Uma manhã fria e branca. Caiu neve em Vila Pouca de Aguiar (Lusa/PEDRO SARMENTO COSTA)

Nos últimos dias, as zonas de montanha têm recebido turistas espanhóis e nacionais, sobretudo do Norte do país

O primeiro nevão do ano, que na terça-feira começou a ‘pintar’ de branco as zonas montanhosas do distrito de Viana do Castelo, está a “acelerar” os negócios nos setores da restauração e hotelaria, consideraram esta quinta-feira autarcas da região.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, referiu que o manto de neve que ainda cobre as freguesias Castro Laboreiro e Lamas de Mouro e a Branda da Aveleira, no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), “permite acelerar a visitação, o que tem acontecido nos últimos dias”.

“Estamos expectantes que a neve venha a confirmar o que é já uma realidade, a aceleração na restauração. Em Castro Laboreiro, a procura aumentou entre os 40 a 50%. Isto durante a semana. Imaginamos que no fim de semana a procura venha ainda a ser muito elevada, devido à neve”, explicou o autarca socialista.

Manoel Batista adiantou que “o alojamento de montanha, independentemente da neve, já estava esgotado”.

“Agora com a neve prevemos que o alojamento da parte mais baixa do território venha a esgotar no fim de semana”.

Segundo o autarca, nos últimos dias, as zonas de montanha têm recebido turistas espanhóis e nacionais, sobretudo do Norte do país.

“Também já se encontram no território pessoas vindas de outros destinos da Europa. Estamos satisfeitos com os resultados do turismo neste período do ano, independentemente da neve. Muito satisfeitos com este acelerar que a neve veio permitir”, referiu Manoel Batista, garantindo estar “devidamente assegurada” a circulação rodoviária nas estradas municipais e rurais.

“Face às previsões meteorológicas foi acautelada a intervenção na rede viária. Os meios municipais permitem fazer a limpeza das vias municipais até Castro Laboreiro e, em Castro Laboreiro, a Junta de Freguesia tem condições técnicas para fazer limpeza nas estradas rurais”, especificou.

Do Vale do Minho para o Vale do Lima, a neve transformou também a paisagem das zonas montanhosas do concelho de Arcos de Valdevez.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, também apontou um “aumento, na ordem dos 10 a 20%, no alojamento”, estimando que a procura venha a crescer face à proximidade do fim de semana.

“Toda a zona de montanha, muita dela dentro PNPG, está coberta de neve. Desde a sede do concelho é visível um cenário muito bonito de neve”, referiu o autarca social-democrata.

“Desde que começou a cair neve que temos recebido mais visitantes. São pessoas oriundas da Área Metropolitana do Porto e de Vigo, na Galiza”, adiantou.

Segundo João Manuel Esteves, a escolha por Arcos de Valdevez fica a dever-se ao “acesso fácil” às zonas com mais neve.

“Por exemplo, a Branda de São Bento do Cando, na freguesia da Gavieira, não é muito longe e as pessoas podem desfrutar destes momentos especiais”, referiu, garantindo que “os meios municipais estão no terreno para garantir a circulação nas estradas do concelho”.

 A neve começou a caiu nos pontos altos do distrito de Viana do Castelo na terça-feira, situação que se prolongou até quarta-feira.

Economia

Mais Economia

Patrocinados