Maternidade Alfredo da Costa volta a fechar bloco de partos por falta de médicos

8 set, 08:02
"O encerramento já foi, agora não vai ser". A maternidade Alfredo da Costa tem boas notícias

REVISTA DE IMPRENSA É a maternidade com mais obstetras do país. Conselho de administração fala em resistência dos médicos

Apesar de ser aquela que tem mais especialistas em ginecologia e obstetrícia em todo o país, a Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, vai voltar a fechar o bloco de partos ao exterior na próxima sexta e segunda-feira, avança o jornal Público.

De acordo com o portal do SNS sobre o funcionamento dos serviços de urgência obstétrica e ginecológica, a MAC encerrará o bloco de partos sexta-feira, dia 9, às 09:00, sendo que reabre apenas no sábado às 09:00. O portal informa ainda que, na segunda-feira (dia 12 de setembro), o bloco de partos encerra às 09:00 e não existe, até agora, data para a reabertura. 

Segundo o Público desta quinta-feira, em causa está a falta de médicos para completar as escalas de urgência.

Esta é já a sexta vez que a maior maternidade pública anuncia que vai encerrar temporariamente o bloco de partos neste verão, e a justificação apresentada é a de que os médicos, "quer os seniores, quer os internos", recusam fazer mais horas extraordinárias , mesmo depois de o valor da hora de trabalho suplementar ter sido substancialmente aumentado pelo Ministério Público.

Questionado pelo jornal, o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (em que a MAC está integrada) justifica que apenas 44 especialistas estão disponíveis para fazer serviço de urgência e que, destes, três estão em licença de maternidade, oito estão com escusa de horário noturno (por terem mais de 50 anos, ou por estarem doentes ou com licença de amamentação). Os médicos a partir dos 55 anos estão dispensados de fazer urgências.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados