Resgate de criança marroquina que caiu no poço entra na fase mais crítica

4 fev, 13:46

A instabilidade das terras pode levar ao colapso do poço onde a criança está presa

Pode estar muito próximo o resgate de Rayan, a criança marroquina de cinco anos, que está presa num poço com mais de 30 metros de profundidade, na aldeia de Ighran, no norte de Marrocos, desde terça-feira. O rapaz está vivo e as equipas de resgate que trabalham no local já estão a três metros de distância dele, mas alertam que esta é a fase mais crítica da operação de resgate e que a instabilidade das terras pode levar ao colapso do poço.

As equipas de socorro estão numa verdadeira corrida contra o tempo. Incapazes de resgatar diretamente o rapaz de cinco anos devido ao facto do poço ser demasiado estreito – tem apenas 45 centímetros de diâmetro -, as autoridades abriram um buraco paralelo.

Atualmente, apenas três metros de terra separam Rayan das equipas de resgate, de acordo com os meios de comunicação marroquinos. A SNRT News cita Abdel-Hadi Al-Tamrani, da comissão de vigilância e rastreamento responsável pela operação, que insiste que a operação acontece agora a um ritmo mais lento, para evitar o colapso do poço onde se encontra o menino.

A cada meia hora, as escavações são interrompidas para que uma equipa de topógrafos faça medições para se certificarem de que há condições de continuar as escavações sem o risco de derrocada.

Imagens de vídeo mostram que Rayan está vivo e consciente, apesar de aparentar ter alguns ferimentos. As autoridades já lhe conseguiram entregar uma botija de oxigénio e água e uma equipa médica está presente no local para tratar do menino assim que ele seja retirado do poço. Além disso, está presente um helicóptero a postos para levar a criança para o hospital mais próximo.

Khalid Agoram, o pai da criança, explicou aos jornalistas que procurou o filho durante horas, na terça-feira, antes de descobrir que tinha caído ao poço.

“Rezo e peço a Deus que ele saia daquele poço vivo e em segurança. Por favor, Deus, alivia a minha dor e a dele, que está naquele buraco de pó”, disse a mãe da criança, Wassima Kharchich, em declarações ao canal estatal 2M.

O caso está a deixar o país e mundo em suspenso, com a hashtag #SaveRayan circular nas redes sociais.

África

Mais África

Patrocinados