Mário Ferreira pede para ser arguido no processo do navio Atlântida

6 jul, 17:10
Mário Ferreira

Empresário quer exercer o direito de defesa numa investigação que começou em 2016 e onde ainda não foi chamado a depor

Mário Ferreira pediu, esta quarta-feira, para ser constituído arguido no processo do navio Atlântida.

Conforme consta numa carta enviada ao Ministério Público pela defesa de Mário Ferreira, a que a CNN teve acesso, o CEO da Douro Azul, cujas instalações foram hoje alvo de buscas, pediu ainda ao procurador do processo para ser ouvido em interrogatório, o mais brevemente possível, para exercer o direito de defesa.

No requerimento a que a CNN teve acesso, a defesa do empresário alega que a investigação que levou hoje às buscas na Douro Azul, decorre desde 2016, e que, desde essa data, Mário Ferreira nunca foi chamado a depor, nem foi constituído arguido.

A defesa alega que, sem prejuízo de estar absolutamente convicto da sua inocência e das empresas em questão, só lhe resta requerer para ser arguido no processo do navio Atlândida.

A Autoridade Tributária esteve esta manhã a realizar buscas na empresa Douro Azul.

O Fisco investiga suspeitas de fraude fiscal na compra do navio "Atlântida" ao Estado português, no ano de 2014.

O negócio da aquisição da embarcação foi feito por cerca de 8 milhões de euros e a venda posterior, feita através de sociedades offshore, originou suspeitas de fraude fiscal.

Mário Ferreira já veio dizer publicamente que "o processo de aquisição do navio foi feito de forma pública e transparente".

Mário Ferreira, que controla a Douro Azul, é também acionista da Media Capital, dona da CNN Portugal.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados