A obra mais cara do século XX. Retrato de Marilyn Monroe do pintor Andy Warhol foi vendido por 185 milhões de euros 

10 mai, 08:00

Leilão ocorreu em Nova Iorque, nos Estados Unidos

O icónico quadro "Shot Sage Blue Marilyn" do pintor Andy Warhol foi vendido em leilão por um preço recorde: 185 milhões de euros (195 milhões de dólares). Este retrato de Marilyn Monroe torna-se assim a obra do século XX mais cara de sempre.

Ainda assim, o valor pelo que foi vendido ficou ligeiramente abaixo da expectativa da famosa casa de leilões de Nova Iorque "Christie's", que era de 189 milhões de euros, por se tratar de uma das pinturas "mais raras e transcendentes que existe". 

De acordo com a BBC, o leilão do "Shot Sage Blue Marilyn" ficou fechado com um preço de venda de 161 milhões de euros, que depois subiu até aos 185 com os impostos e as taxas. O licitante vencedor, revelou a Bloomberg, foi um comerciante de arte norte-americano: Larry Gagosian, que é proprietário de uma cadeia de galerias de arte. 

A casa de leilões Christie's disse que todos os lucros vão para a Fundação Thomas e Doris Ammann Zurich, com sede na Suíça, que tem como objetivo criar programas de saúde e educação para crianças em todo mundo. 

Antes deste retrato, a obra norte-americana mais cara alguma vez vendida pertencia a Jean-Michael Basquiat. Tratava-se da pintura de uma caveira, criada em 1982, e que foi vendida por cerca de 105 milhões de euros (110 milhões dólares). 

O preço final desta obra de Andy Warhol também bateu o recorde da obra de arte mais cara do século XX que, até então, pertencia a uma pintura de 1995 de Pablo Picasso: "Les Femmes d'Alger" (versão 0), vendida em 2015 por cerca 170 milhões de euros (179 milhões de dólares) com taxas. 

O recorde absoluto, para lá do século XX, em leilão permanece com “Salvator Mundi”, atribuído, com alguma disputa, a Leonardo da Vinci, vendido por 450,3 milhões de dólares (426 milhões de euros), em 2017.

Para além de Warhol, também foram atingidos valores recorde para os artistas Mike Bidlo, Ross Bleckner, Francesco Clemente, Ann Craven, Martin Disler e Mary Heilmann.

O pai da ´pop art´

Andy Warhol pintou o "Shot Sage Blue Marilyn" em 1964 e usou uma fotografia famosa como inspiração. A serigrafia com um metro, apresenta a atriz norte-americana com o rosto pintado de cor-de-rosa, cabelo amarelo, lábios rubi, e sombra azul nos olhos.

Considerado o pai da ´pop art´, produziu quatro obras depois da morte da atriz, em 1962, que ficaram conhecidas como as "Shot Marilyns", todas do mesmo tamanho, e com fundos de cores diferentes.

 

Andy Warhol's "Shot Sage Blue Marilyn" (AP Photo/Ted Shaffrey)

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados