"Não recorri à imunidade parlamentar e aceitei ser arguida por chamar oligarca a um oligarca": Mariana Mortágua reage

Agência Lusa | CNN Portugal
17 jan, 20:56
Deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua (Tiago Petinga/Lusa)

Comissão de Transparência aprovou levantamento da imunidade de Mariana Mortágua, que vai ser arguida num processo de difamação que envolve o empresário Marco Galinha

A deputada do Bloco de Esquerda usou o Twitter para reagir: "Marco Galinha usa os tribunais p tentar intimidar quem lhe faz frente. Ñ recorri à imunidade parlamentar e aceitei ser arguida por chamar oligarca a um oligarca. Leivikov é sogro e sócio de Galinha. Deixo a denúncia que fiz e reitero-a palavra por palavra".

 

A comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados aprovou esta terça-feira o levantamento da imunidade parlamentar da deputada Mariana Mortágua, do BE, para ser constituída arguida num processo por difamação que envolve o empresário Marco Galinha.

Este ponto da reunião decorreu à porta fechada, mas a presidente da comissão indicou aos jornalistas no final que o parecer que constava na ordem de trabalhos desta terça-feira foi aprovado.

De acordo com fonte oficial do BE, o Ministério Público pediu o levantamento da imunidade parlamentar da deputada Mariana Mortágua para que a bloquista seja constituída arguida num processo por difamação movido pelo líder da Global Media Group, que é detentor do Diário de Notícias (DN), Jornal de Notícias (JN) e TSF, entre outros.

O caso remonta a março de 2022, quando Mariana Mortágua apontou ligações de Marco Galinha a oligarcas russos, incluindo numa publicação no jornal'online do BE - Esquerda.net.

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados