Marcelo recorda os "perigos e dureza" da vida no mar ao enviar condolências à família do pescador morto em Vila do Bispo

Agência Lusa , MJC
29 set, 14:49
Homem encontrado morto no areal da Ponta Ruiva, no Algarve. Corpo poderá ser de um turista desaparecido

O pescador que morreu esta quinta-feira num naufrágio em Vila do Bispo tinha 23 anos e foi encontrado na embarcação. Os outros cinco tripulantes conseguiram nadar até à praia

O Presidente da República expressou condolências à família do pescador falecido na Praia da Salema, Vila do Bispo, e lembrou os “perigos e dureza” enfrentados por quem trabalha no mar, merecedores de “respeito e admiração”: "O Mar, património económico, histórico e cultural da Nação portuguesa, traz também perigos e dureza de vida aos concidadãos que nele laboram e que tanto respeito e admiração nos merecem”, lê-se numa mensagem da Presidência da República.

Na nota, publicada na página oficial da Presidência na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa “associa-se à dor dos que perderam um ente querido, um colega de faina ou um amigo, desejando votos de rápida recuperação aos cinco sobreviventes”.

O pescador que morreu esta quinta-feira num naufrágio em Vila do Bispo era o mais novo da tripulação e foi encontrado dentro da embarcação, disse à Lusa o comandante da capitania do porto de Lagos. Pedro Palma adiantou que o homem, de 23 anos, foi o único dos seis tripulantes que não se lançou ao mar, tendo sido encontrado ainda dentro da embarcação, "embora não tivesse ficado preso", enquanto os outros cinco conseguiram nadar até à praia.

“O que os restantes cinco tripulantes nos disseram é que a embarcação virou muito rapidamente e que só tiveram tempo de se atirarem ao mar”, referiu o responsável, acrescentando que a vítima mortal foi encontrada à entrada da cabine da embarcação.

Segundo Pedro Palma, as causas do naufrágio só poderão ser apuradas após uma peritagem à embarcação de pesca costeira, com 10 metros de comprimento, e que ainda se encontra na água, junto à praia da Salema, sendo que o armador terá agora de apresentar um plano para a sua remoção.

No momento do naufrágio não havia ondulação, nem praticamente vento, pelo que a hipótese de a causa ser o mau tempo “está descartada”, sublinhou, admitindo que possa ter havido algum problema na estabilidade da embarcação, devido à rapidez com que se virou, ou uma entrada anormal de água.

“Uma das várias hipóteses [para a causa do naufrágio] pode ser uma alteração na estabilidade, mas isso só pode ser averiguado quando a embarcação for retirada da água, feita a peritagem e depois de ouvidos os restantes tripulantes”, observou o responsável.

O naufrágio que provocou a morte a um dos seis tripulantes de uma embarcação de pesca ocorreu ao largo da praia da Salema, no concelho de Vila do Bispo, no distrito de Faro, tendo o alerta sido dado às 3:30. Cinco dos pescadores conseguiram chegar a terra, mas o sexto elemento acabaria por ser resgatado já inconsciente, dentro da embarcação, sem que as equipas de socorro tivessem sucesso nos esforços para reanimar a vítima, precisou a Autoridade Marítima Nacional (AMN) em comunicado.

Foi acionada ajuda psicológica para os pescadores sobreviventes e os familiares da vítima, através do Gabinete de Psicologia da Polícia Marítima, acrescentou.

O armador foi notificado para apresentar um plano de remoção da embarcação naufragada, que está a flutuar junto à praia, referiu ainda a AMN, que emitiu um “aviso à navegação” a alertar para a presença deste obstáculo à navegação.

Relacionados

Política

Mais Política

Patrocinados