Montenegro diz que encontro com Marcelo na Romaria d’Agonia foi coincidência

Agência Lusa , JGR
20 ago, 09:05

O encontro entre Montenegro e Marcelo aconteceu quando o líder do PSD se dirigia para a ribeira de Viana do Castelo e o chefe de Estado regressava daquela zona da cidade onde, durante toda a noite são confecionados os tapetes de sal, tingidos às cores, em honra de Nossa Senhora d'Agonia

O presidente do PSD garantiu na sexta-feira, em Viana do Castelo, que o encontro com o Presidente da República na Romaria d'Agonia, “não foi combinado”, mas uma “coincidência natural” por se tratar de uma “grande festa”.

“Foi uma coincidência, natural, porque esta é uma grande festa, uma grande reunião de pessoas, não só de Viana do Castelo como de todo o país e, portanto, é natural que o senhor Presidente da República venha até aqui e, eu como líder do maior partido da oposição também é natural que esteja aqui. Aconteceu. Tudo normal”, afirmou quando questionado pelos jornalistas.

O encontro entre Montenegro e Marcelo aconteceu quando o líder do PSD se dirigia para a ribeira de Viana do Castelo e o chefe de Estado regressava daquela zona da cidade onde, durante toda a noite são confecionados os tapetes de sal, tingidos às cores, em honra de Nossa Senhora d'Agonia, padroeira dos pescadores.

Montenegro adiantou que a “área política do Presidente da República é conhecida, também foi presidente do PSD, mas hoje está investido de uma função que não é partidária, na sequência de uma candidatura que foi unipessoal e que foi apoiada por gente de todos os quadrantes políticos”.

“Tem as competências e as funções que a Constituição lhe atribui. Nós temos as nossas. As coisas são assim. Cada um faz o seu trabalho, ele faz o dele e eu o meu”, reforçou Montenegro, que pela primeira vez marcou presença na Romaria d'Agonia.

Montenegro perto "dos que labutam" por uma vida melhor

O líder social-democrata disse estar “sobretudo interessado em estar perto das pessoas ou perto daqueles que todos os dias labutam para tentar ter uma vida melhor”.

“Os que querem subir na vida, que querem estudar, que se querem qualificar, querem conseguir depois ter empregos compatíveis com as qualificações que adquirem e que possam ter uma sociedade que lhes permita cumprir a sua oportunidade aqui no nosso território e não terem que emigrar. É isso que me preocupa e é com essas pessoas que eu quero estar”, frisou.

Montenegro acrescentou que o PSD quer “estar sempre próximo das pessoas e também daqueles que são representantes das pessoas e o senhor Presidente da República é o representante máximo eleito por todos os portugueses”.

Os tapetes de sal são confecionados desde 1968 em várias artérias da ribeira de Viana do Castelo, sempre na noite de 19 para de 20 de agosto, feriado municipal.

O evento atrai milhares de pessoas que se perdem pelas tasquinhas da ribeira, animadas durante toda a madrugada com concertinas e cantares ao desafio. São cerca de mil metros de ruas embelezadas com mais de 30 toneladas de sal.

Hoje, feriado da cidade realiza-se a procissão ao mar. O andor da Senhora d'Agonia, com cerca de 600 quilogramas de peso é transportado, aos ombros, por seis homens, até ao barco a quem calhou a sorte de levar a Santa ao rio e ao mar.

No regresso, manda a tradição que o andor da Senhora d'Agonia passe por cima dos tapetes da ribeira, a caminho do templo, no Campo d'Agonia. 

Além da Senhora da Agonia, são ainda transportadas ao rio e ao mar as imagens da Senhora de Monserrate, de São Pedro, da Senhora dos Mares e de Frei Bartolomeu dos Mártires que, desde 2015, passou a integrar a procissão.

No final da procissão, os mestres dos barcos que levaram os andores ao rio, regressam à barra e em homenagem aos pescadores desaparecidos lançam ao mar as flores com que decoraram as suas embarcações.

PR Marcelo

Mais PR Marcelo

Patrocinados