«Ronaldo pediu-me para dar esta entrevista, sabia que ia ser incendiário»

14 nov, 11:08
Entrevista de Cristiano Ronaldo a Piers Morgan

Piers Morgan contou detalhes da conversa com o avançado português, mas não revelou quando foi gravada

Cristiano Ronaldo está no centro das atenções, depois da entrevista concedida a Piers Morgan, jornalista do The Sun. A conversa entre os dois ainda não foi emitida, mas já foram divulgados alguns excertos, nomeadamente sobre a relação do português com Erik Ten Hag, a forma como se sente «traído» pelo Manchester United e como, no seu ponto de vista, o clube parou no tempo.

Ora, Piers Morgan esteve esta manhã no talkSPORT Breakfast, onde explicou que foi Ronaldo quem o contactou para agendarem a entrevista, mas recusou-se a revelar quando foi gravada.

«O Cristiano pediu-me para fazer isto, tão simples quanto isso», começou por dizer.

«Eu não lhe perguntei, foi ele. Foi tudo muito recente. Ele já pensava nisto há algum tempo. Acho que não é segredo que ele sentiu uma profunda frustração sobre o que tem acontecido no United neste último ano», acrescentou.

O jornalista inglês aponta que Ronaldo «sentiu que era hora de falar».

«Ele sabia que isto ia ser incendiário, sabia que ia abalar algumas coisas, mas também sentiu que o devia fazer. Sabia que as pessoas iam criticá-lo, mas também que o que está a dizer é verdade», vincou.

Morgan explicou ainda o timing da entrevista, que vai ser emitida a poucos dias do início do Mundial 2022.

«O Mundial está obviamente prestes a começar, ele está com Portugal, uma boa equipa, pode ter um bom Mundial. Isso dá-lhe um mês longe do United. Dá tempo para que o que ele disse assentar e ele pode voltar e tentar resolver as coisas. Também dá tempo ao United, a ele e às pessoas à sua volta para pensarem sobre o que querem fazer», notou.

Segundo Morgan, Ronaldo «está ciente de que, ao fazer isto, pode significar o fim de linha no Manchester United» e, por isso, procura no Qatar uma montra para ainda chegar a equipas de nível Champions.

«Há uma grande chance de que Ronaldo tenha um Mundial muito bom, e nesse caso será a melhor vitrine para ele conseguir o que realmente quer, que é estar numa equipa competitiva na Liga dos Campeões que lhe permita jogar ao mais alto nível por mais alguns anos. Ele quer retirar-se por volta dos 40, segundo me disse», revelou.

«Acima de tudo, quer ser respeitado e valorizado, e não sente isso com Ten Hag. Pensa que, desde o início, ele tentou marcar pontos com Ronaldo, e é muito fácil para os treinadores fazerem isso, porque ele é o maior nome, a maior estrela e tem muitas manchetes que o distraem dos verdadeiros problemas no clube», rematou.

Relacionados

Patrocinados