Maior ciberburlão de Espanha detido em discoteca madrilena

8 jan, 18:07
Polícia espanhola
Polícia espanhola

Jordi Arias Fernández, ou “Lupin”, arrecadava cerca de 300 mil euros mensais com esquemas fraudulentos. Aos 25 anos tinha como próximo objetivo arrecadar um milhão de euros na próxima Black Friday, de modo a juntar dinheiro suficiente para se poder “reformar”, um desfecho que já não será possível

PUB

O maior ciberburlão de Espanha foi este sábado detido pelo Corpo Nacional de Polícia numa discoteca no centro de Madrid, avançou o jornal ABC.

Jordi Arias Fernández, alcunhado de “Lupin”, em homenagem ao ladrão Arsène Lupin dos livros de Maurice Leblanc, tem 25 anos, e foi denunciado por um jovem que frequentava a discoteca Shoko àquela hora e o reconheceu de um programa de televisão emitido recentemente. Fernández tinha oito mandados de detenção pendentes, pelo que foi imediatamente detido.

PUB

Esta não é, contudo, a primeira vez que as autoridades o detêm, tendo-o feito também em 2019 após uma investigação de dois anos. Segundo a Cadena SER, não tinha Documento Nacional de Identidade (o equivalente ao Cartão do Cidadão) válido, recorrendo a identidades falsas, e vivia constantemente a mudar de hotéis.

O ‘modus operandi’ de “Lupin” era bastante eficaz: a sua equipa criava sites falsos, mas totalmente iguais aos de várias lojas online legais, principalmente centradas na venda de bens eletrónicos. Explica o ABC que uma característica comum destas páginas era a sua curta duração no tempo, podendo estar ativas somente durante um fim de semana.

PUB
PUB
PUB

O mesmo jornal informa, também, que os burlões contactavam as vítimas para que estas instalassem uma aplicação que permitisse seguir o envio da encomenda. No entanto, a App servia apenas para redirecionar todas as mensagens do telemóvel do cliente para os burlões, que ganhavam assim acesso aos códigos enviados pelos bancos para se procederem aos pagamentos online.

O esquema renderia a Fernández cerca de 300 mil euros mensais, e terá feito perto de 2.400 vítimas no total.

“Lupin” tinha como objetivo seguinte arrecadar um milhão de euros na próxima Black Friday, de modo a juntar dinheiro suficiente para se poder “reformar”, um desfecho que já não será possível.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados