A "lua de trovão" pode iluminar o céu de um modo particularmente grandioso na quarta-feira

CNN , Rachel Fadem e Ashley Strickland
12 jul, 15:12
A lua cheia de julho ou "lua de trovão" passa por detrás do Empire State Building enquanto sobe em Nova Iorque, a 23 de julho de 2021, vista de Lyndhurst, Nova Jérsia

A lua cheia de julho, ou "lua de trovão", pode iluminar o céu na quarta-feira de um modo particularmente grandioso.

A lua vai aparecer cheia de terça-feira de manhã até ao início de sexta-feira, de acordo com a NASA. Atingirá o seu pico na quarta-feira às 14:48 (horário da costa leste dos EUA), mas não estará totalmente visível na América do Norte até ao nascer da lua. Para quem tiver um vislumbre, pode parecer maior e mais brilhante do que outras luas de 2022 porque é uma superlua.

Embora não exista uma única definição de "superlua", o termo refere-se tipicamente a uma lua cheia que pode destacar-se mais do que outras porque está a 90% da sua órbita mais próxima da Terra. A lua cheia de julho é a superlua que se aproximará mais da Terra este ano, de acordo com o The Old Farmer's Almanac.

As visualizações mais claras da lua cheia de julho nos EUA serão na Costa Oeste, nas Grandes Planícies e no Centro-Oeste, disse a meteorologista da CNN Jennifer Gray. Uma frente fria irá mover-se para o sudeste dos EUA nos dias 12 e 13 de julho, podendo causar tempestades e chuva em toda a região. Partes do Arizona, Novo México, Utah e Colorado também esperam trovoadas no início desta semana, acrescentou.

"Ao contrário de alguns eventos astronómicos, não há (uma situação em que) temos de vê-la naquele instante ou então não a veremos de todo", disse Noah Petro, diretor do Laboratório de Geologia Planetária, Geofísica e Geoquímica da NASA. "Não há um momento em que tenhamos de estar a contemplá-la para maximizar o nosso prazer de ver a lua cheia. Se estiver nublado e não quiser estar lá fora, experimente uma das noites seguintes."

Para melhor visualização da lua, Petro recomendou evitar áreas cercadas por edifícios altos e florestas espessas. A calculadora do The Old Farmer's Almanac pode ajudá-lo a descobrir a que horas a lua sobe e se põe na sua localização.

Esta lua cheia é mais conhecida como a lua dos cervos porque os veados machos, ou cervos, desenvolvem completamente os seus chifres em julho, de acordo com The Old Farmer's Almanac. Os chifres dos cervos caem e crescem todos os anos, tornando-se maiores à medida que os animais envelhecem.

A lua cheia de julho é conhecida por outros nomes.

O povo Tlingit refere-se a ela como a lua de salmão, uma vez que os peixes muitas vezes regressam à costa noroeste do Pacífico por esta altura e ficam prontos para serem apanhados. Para o Abenaki Ocidental, é a lua de trovão, em referência às frequentes trovoadas durante esta época do ano.

Na Europa, a lua de julho é muitas vezes chamada de lua de feno porque a temporada do feno é em junho e julho, segundo a NASA.

A lua cheia de julho corresponde ao festival hindu, budista e jainista de Guru Purnima, uma celebração para limpar a mente e honrar gurus espirituais e académicos.

Para Petro e outros entusiastas do espaço, esta lua é chamada de lua Apollo 11. A Apollo 11 foi a primeira missão a colocar humanos na superfície lunar. A missão foi lançada a 16 de julho de 1969 e aterrou na Lua a 20 de julho de 1969.

Haverá mais cinco luas cheias em 2022, de acordo com o The Old Farmer's Almanac:

• 11 de agosto: Lua de Esturjão

• 10 de setembro: Lua de Colheita

• 9 de outubro: Lua de Caçador

• 8 de novembro: Lua de Castor

• 7 de dezembro: Lua Fria

Estes são os nomes popularizados associados às luas cheias mensais, mas o significado de cada um pode variar entre as várias tribos nativas americanas.

Eclipses lunares e solares

Haverá mais um eclipse lunar total e um eclipse solar parcial em 2022, de acordo com o The Old Farmer's Almanac.

Eclipses solares parciais ocorrem quando a lua passa em frente ao sol, mas apenas bloqueia alguma da sua luz. Certifique-se de que está a usar óculos de eclipse adequados para ver os eclipses solares com segurança, uma vez que a luz do sol pode ser prejudicial para o olho.

Um eclipse solar parcial no dia 25 de outubro será visível para quem estiver na Gronelândia, Islândia, Europa, Nordeste de África, Médio Oriente, Ásia Ocidental, Índia e China Ocidental. Este eclipse solar parcial não será visível da América do Norte.

Um eclipse lunar total também será visível para quem estiver na Ásia, Austrália, Pacífico, América do Sul e América do Norte a 8 de novembro entre as 3:01 da manhã (horário da costa leste) e 8:58 da manhã (horário da costa leste), mas a lua estará a pôr-se para quem estiver nas regiões orientais da América do Norte durante esse período.

Chuvas de meteoros

Confira as restantes chuvas de meteoros que atingirão o pico em 2022:

• Delta Aquáridas do Sul: 29 a 30 de julho

• Alfa Capricornídeos: 30 a 31 de julho

• Perseidas: 11 a 12 de agosto

• Oriónidas: 20 a 21 de outubro

• Táuridas do Sul: 4 a 5 de novembro

• Táuridas do Norte: 11 a 12 de novembro

• Leónidas: 17 a 18 de novembro

• Gemínidas: 13 a 14 de dezembro

• Úrsidas: 21 a 22 de dezembro

Se vive numa área urbana, pode querer ir para um local que não esteja cheio de luzes da cidade para ter a melhor vista.

Encontre uma área aberta com uma ampla vista para o céu. Certifique-se de que tem uma cadeira ou cobertor para poder olhar diretamente para cima. E dê aos seus olhos cerca de 20 a 30 minutos, sem olhar para o telefone ou outros aparelhos eletrónicos, para se adaptarem à escuridão de modo a que os meteoros sejam mais fáceis de detetar.

Relacionados

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados