Seguiu a vítima até casa e acabou a matá-la com uma faca de cozinha para lhe roubar dinheiro. Britânico de 21 anos detido em Loures

Agência Lusa , AG
12 jun, 18:16
Polícia Judiciária

Não tem emprego ou morada fixa, o que dificultou o trabalho das autoridades

A Polícia Judiciária (PJ) deteve na terça-feira um cidadão estrangeiro suspeito do homicídio e roubo, com arma branca, de um homem de 46 anos, num descampado do concelho de Loures, em 30 de março, informou esta quarta-feira esta polícia.

Segundo adiantou à agência Lusa João Oliveira, diretor da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ, foi necessário um "trabalho de sapa e insistência" desta polícia de investigação, em colaboração com a PSP, para se chegar à detenção fora de flagrante delito do homicida, que é cidadão estrangeiro, de 21 anos, sem emprego ou morada fixa, situação que dificultou ainda mais a sua localização.

O detido será presente às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação.

A vítima - revelou o mesmo responsável da PJ – saiu ao final da noite do trabalho, num hotel na baixa de Lisboa, e ao entrar no autocarro que o levava a casa foi seguido pelo autor do crime que se apercebendo que este tinha dinheiro na carteira o acompanhou na viagem sentado num dos bancos traseiros até à zona da Portela, onde a vítima desceu na paragem para se dirigir a casa.

De acordo com a investigação, a vítima desceu do autocarro seguido pelo agressor naquela zona descampada, onde, munido com uma faca de cozinha, o acabou por esfaquear mortalmente face à resistência da vítima em lhe entregar a carteira com o dinheiro.

O homicida abandonou o local e a vítima ainda foi encontrada em agonia naquele local descampado por um transeunte, mas acabaria por morrer face à gravidade dos ferimentos. A arma do crime - uma faca de cozinha - foi recuperada próximo do local onde a vítima viria a falecer.

A identificação do autor do crime só foi possível mercê de um "trabalho fino" de investigação da PJ, em colaboração com a PSP, tendo a mesma sido dificultada pelo facto de o homicida ter-se ausentado para França durante algum tempo. O facto de não ter morada fixa ou trabalho dificultou também a sua localização para efeitos de detenção.

João Oliveira salientou que esta investigação permitiu afastar a hipótese que tinha sido levantada que este homicídio pudesse estar relacionado com rivalidades clubísticas, tendo em conta que a vítima era adepto do Sporting e tinha um familiar que integrava a banda do clube de Alvalade.

O responsável da PJ aproveitou para lembrar que neste tipo de roubos em locais ermos é preferível a vítima não oferecer resistência a quem está armado, lembrando que a vida é mais valiosa do que o dinheiro.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Mais Lidas

Patrocinados