Álvaro Pacheco: «Estava a ferver, mas quis passar tranquilidade»

Bruno José Ferreira , Estádio do FC Vizela
1 out, 18:11
Álvaro Pacheco (MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA)

Vizela-Portimonense, 1-0 (reportagem)

Declarações de Álvaro Pacheco, treinador do Vizela, na sala de imprensa do Estádio do Vizela, após o triunfo (1-0) frente ao Portimonense:

«Foi um jogo difícil, em que sabíamos que ia ser muito equilibrado e repartido. Houve alturas em que estivemos por cima e houve alturas em que o Portimonense nos empurrou para trás. A vitória acaba por nos ficar bem por aquilo que foi o desempenho dos meus jogadores. Já tivemos jogos em casa em que merecíamos ganhar e mão ganhámos, hoje tivemos a sorte que às vezes é precisa. Podíamos ter matado o jogo, faltou tranquilidade para isso. Estes três pontos são importantes para a nossa caminhada e para o nosso percurso».

[O que sentiu ao ver a equipa desperdiçar oportunidades para matar o jogo?] «O que tentava era não passar para os meus jogadores, através da linguagem corporal, o que estava a sentir. Há sempre o fantasma de sofrer golos nos últimos minutos, tentei passar tranquilidade, para não deixar a nossa linha defensiva baixar. Estava a ferver, mas passei tranquilidade para os jogadores».

[Buntic] «O Vizela tem jogadores fantásticos, principalmente de caráter. A nível desportivo sabíamos que era interessante para nós, mas quando vimos o caráter, que encara o espírito vizelense, dá tranquilidade. Tenho três excelentes guarda-redes».

Patrocinados