Portimonense-Boavista, 0-1 (crónica)

7 ago, 22:37

Fuga madrugadora para a vitória

Um Boavista ainda sem reforços inscritos a tempo do jogo de arranque na I Liga 2022/23 entrou com uma vitória tangencial na deslocação a Portimão, perante um Portimonense que não conseguiu reagir, no marcador, ao golo madrugador de Yusupha, apontado ao minuto nove.

No lance que decidiu o resultado, o gambiano fugiu em velocidade à defensiva do Portimonense e fugiu também para a vitória, batendo Samuel Portugal num lance de três toques: Bracali pontapeou para o meio-campo contrário, Makouta ganhou o lance de cabeça e assistiu o avançado para o golo que faria a diferença em solo algarvio.

Por essa altura já o Portimonense tinha testado Bracali, que travou, na primeira parte e sobretudo com Welinton Júnior, um duelo interessante com os homens mais ofensivos da equipa comandada por Paulo Sérgio.

Ainda assim, foi primeiro o Boavista a estar perto de dobrar a diferença, do que o Portimonense de empatar. Valeu, ao minuto 20, um corte espetacular de Paulo Estrela, antes de uma boa defesa de Samuel, a negar a festa a Hamache.

Na resposta, o Portimonense teve em Bracali a grande barreira para chegar à igualdade, em dose dupla ao minuto 27. O guardião afastou para canto um remate de Welinton e esticou-se depois para manter o 0-1 num cabeceamento de Willyan.

Na segunda parte, o Portimonense, que teve mais bola e mais ocasiões, tentou esboçar uma reação. Porém, faltou criar mais perigo junto da baliza de Bracali, a partir do que ia produzindo da defesa para o ataque. Moustapha Seck, um dos melhores na equipa da casa, acabou por, ao longo do jogo, fazer nascer alguns dos lances mais perigosos na área defensiva da pantera, com boas incursões pela esquerda e belíssimos cruzamentos a darem trabalho a Bracali e companhia.

Do outro lado, o Boavista foi-se mantendo rigoroso taticamente, algo confortável com e sem bola e também perigoso. À hora de jogo, teve uma grande ocasião por Pedro Malheiro após cruzamento de Hamache, mas Samuel manteve o Portimonense agarrado ao jogo.

O sentido de solidariedade do Boavista ficou depois provado, por exemplo, numa grande recuperação de Makouta de área a área, num lance em que Welinton podia ter definido melhor o passe para Rui Gomes, numa saída de dois para um após um canto a favor dos axadrezados (75m).

O Boavista acabou por sair algumas vezes, mas não criou verdadeiramente mais perigo para Samuel e defendeu-se bem das investidas finais do Portimonense, com Bracali a voar para socar um cruzamento perigoso de Seck (81m) e a sair-se com coragem a um cabeceamento de Yago em cima do minuto 90, numa ação decisiva perante o avançado dos algarvios.

O Boavista ainda festejou um segundo golo em cima do apito final, por Dabo, após uma ida de Samuel ao ataque do Portimonense para um canto, mas o lance foi anulado por fora-de-jogo.

No final, a fuga madrugadora de Yusupha fez a diferença e os três pontos fogem de Portimão para o Bessa. Nota para a boa moldura humana nas bancadas, de parte a parte.

Relacionados

Patrocinados