Portimonense-Boavista, 1-1 (destaques)

12 fev 2022, 20:05

Makouta omnipresente quase quebrou o enguiço

FIGURA: Makouta

O franco-congolês foi o grande impulsionador do jogo do Boavista na zona central do campo, mas não chegou para quebrar o enguiço de não vencer fora na Liga. Makouta assinou um belo trabalho no lance em que assiste Petar Musa para o 1-1 no marcador já perto do intervalo, após aguentar a pressão de vários adversários até um bom cruzamento em rotação. Na segunda parte, numa fase de mais expectativa e pouco jogo ofensivo de parte a parte, tomou a iniciativa e quase deu a reviravolta no encontro, com um forte remate para uma grande defesa de Samuel (70m). Foi mesmo um verdadeiro motor no meio-campo da pantera e ficou mesmo perto da cambalhota já em tempo de compensação, com um cabeceamento ao ferro. Esteve quase em todo o lado.

MOMENTO: a expulsão de Porozo (77m)

Os golos de Portimonense e Boavista marcam indubitavelmente o encontro, mas também a expulsão do central do Boavista. Numa segunda parte em que a equipa de Petit estava a ser mais ofensiva e ameaçadora, o cartão vermelho após uma falta sobre Carlinhos retirou uma peça importante aos visitantes, que ainda assim ficariam perto de, após algum sofrimento atrás, fazer o segundo golo.

Portimonense-Boavista: o filme do jogo

OUTROS DESTAQUES:

Petar Musa: o gigante croata está a tomar-lhe o gosto e marcou pelo terceiro jogo consecutivo, para o seu nono golo na temporada. Valeu um ponto.

Ricardo Matos: estreia a marcar ao segundo jogo pelo Portimonense por parte do avançado português de 21 anos que chegou a Portimão oriundo do Olhanense, do Campeonato de Portugal, no mercado de janeiro. Estava no sítio certo na sequência do canto de Nakajima que Willyan desviou na área, num lance que ainda passou pela revisão do vídeo-árbitro. Jogo lutador do jovem dianteiro.

Willyan Rocha: competente em quase todos os lances a defender, mostrou segurança no setor mais recuado do Portimonense e também foi influente lá à frente. Neste aspeto, sobressai o cabeceamento lá nas alturas para Ricardo Matos desviar para o 1-0 da equipa de Paulo Sérgio.

Carlinhos: se Makouta foi influente no meio-campo do Boavista, Carlinhos foi-o no do Portimonense, ao proporcionar várias saídas para o ataque e ao ser também muito combativo e bem-sucedido nos duelos ganhos com os adversários.

Sauer: de regresso à equipa, o brasileiro deu alguma vida ao jogo ofensivo do Boavista, sobretudo numa segunda parte em que a equipa de Petit entrou melhor e foi superior e mais rematadora.

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados