Sérgio Conceição explica festejo para a bancada no 3-1 do FC Porto

Vítor Hugo Alvarenga , Estádio do Dragão, Porto
1 out, 00:04

FC Porto-Sp. Braga, 4-1 (reportagem)

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, comentou desta forma o triunfo da sua equipa frente ao Sp. Braga, no Estádio do Dragão (4-1):

«Os resultados são importantes, mas não são aquilo que nos guia. O que nos guia é o trabalho diário. A equipa fez uma excelente partida, entrou da forma que faz parte das caraterísticas dos meus jogadores, uma equipa forte, intensa. Estrategicamente, fomos uma equipa acima da média. Não éramos assim tão maus e agora não somos assim tão bons. São três pontos importantes frente a uma belíssima equipa, que vinha fazendo um trajeto imaculado na Liga. Parabéns aos jogadores pela dedicação e pela humildade. Se continuarmos assim, o futuro será bem mais positivo do que tem sido o passado recente.»

Isto foi um grito de revolta da sua equipa? «Não há revolta nenhuma, aqui há trabalho e dedicação. São momentos. Queremos sempre ganhar, amassar os adversários, mas nem sempre é possível, porque o adversário também tem qualidade. O que se sente por vezes nos adeptos é alguma impaciência e isso passa para os adeptos, alguns deles são jovens e precisam de tranquilidade.»

Sobre o festejo no 3-1: «O meu festejo virado para as bancadas tem a ver com isso. Depois do golo, o Sp. Braga não existiu. Tivemos seis ou sete ocasiões claras, mesmo antes do Matheus ser expulso. Foi nesse sentido que festejei o golo dessa forma, também porque representava melhor o jogo que estávamos a fazer.»

Relacionados

Patrocinados