«O choro de uma criança agarrada ao pai num estádio devia fazer-nos parar»

18 set, 12:36
Pedro Proença

Presidente da Liga, Pedro Proença, reage ao incidente na bancada do Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril-FC Porto

O presidente da Liga, Pedro Proença, repudiou o incidente que levou um pai, com uma camisola do FC Porto, a mudar de sítio com a filha ao colo, na bancada principal do estádio do Estoril, no sábado, no duelo da 7.ª jornada da I Liga.

Proença começou por relembrar a «semana marcada por um conjunto de incidentes que contrariam os princípios da tolerância e negam os valores essenciais do desporto», em alusão, ainda que sem referir diretamente, ao caso da criança no Famalicão-Benfica, para falar em «réplica na presente jornada», que obriga a «uma reflexão conjunta que não pode deixar ninguém ausente».

«O choro de uma criança, apavorada, agarrada aos braços do seu pai, num estádio de futebol, deveria ser suficiente para nos fazer parar!», escreveu o dirigente, através das redes sociais, na manhã deste domingo.

«Num momento de retoma, [em] que queremos fazer regressar as famílias aos palcos desportivos, temos de repudiar, de forma firme e convicta, todos os atos que configurem atentados a todos quantos constroem o espetáculo que deve ser o futebol, contribuindo para uma perceção que não corresponde a nenhum dos valores que defendemos. (…) Teremos de ser intransigentes na defesa destes valores, certos, contudo, que a mudança começa em cada um de nós, na reflexão sobre o que é o desporto e a cidadania. Essa reflexão constituirá uma parte substancial deste caminho. Não desistiremos de defender o que está certo e de reclamar meios e condições para o efetivar», apontou, ainda.

Tudo aconteceu aquando do segundo golo anulado ao FC Porto, na primeira parte, ao minuto 36. Na bancada principal do estádio, elementos da claque do Estoril começaram a contestar a presença de adeptos com adereços portistas naquela zona do estádio.

Perante insultos e até cuspidelas, um adepto com uma camisola do FC Porto, sentado perto da claque do Estoril, acabou por trocar de lugar, mudando-se com a filha ao colo.

O grupo de adeptos do Estoril alegou provocações, tendo sido necessária a presença de elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) para serenar ânimos.

Também este domingo, o Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Correia, prometeu ação do Governo após o caso.

Relacionados

Patrocinados