FC Porto-Sp. Braga, 4-1 (destaques)

Vítor Hugo Alvarenga , Estádio do Dragão, Porto
30 set, 23:34

Do Irão, com amor

A FIGURA: Mehdi Taremi

Esta noite, Mehdi Taremi foi amor. Foi amor ao futebol, à arte com a bola nos pés, a tudo o que de belo se passa num retângulo de jogo. E que noite do avançado iraniano na receção ao Sp. Braga. Esteve nos três primeiros golos do FC Porto com um contributo determinante e ficou a dever a si mesmo o festejo particular, que esteve perto de acontecer na reta final do encontro. Por essa altura, já faltavam as forças, após uma das melhores exibições de Taremi com a camisola azul e branca. Não têm sido poucas.

O MOMENTO: Pepê anula a resposta (63m)

O FC Porto chegou ao intervalo a vencer por 2-0 e Artur Jorge fez três substituições de uma assentada, procurando relançar o Sp. Braga no jogo. Dois dos homens lançados para o terreno de jogo (Víctor Gómez e Abel Ruíz) contribuíram para o autogolo de Pepe, ao minuto 55, mas Mehdi Taremi ainda tinha mais um pós mágicos na manga. Pouco depois, recebeu a bola na área bracarense, fez um túnel soberbo a Tormena e serviu Pepê para o 3-1 (63m), anulando a resposta arsenalista.

OUTROS DESTAQUES:

Pepê: tem sido o jogador em melhor forma no FC Porto desde o início da temporada 2022/23, resistindo aos períodos de menor fulgor dos campeões nacionais. Subiu claramente de nível por comparação com os primeiros meses de época anterior, demonstrando uma crescente adaptado ao futebol português e à exigência de Sérgio Conceição. Por esta altura, é um elemento de máxima confiança para o treinador e responde com constantes exibições acima da média, como aconteceu esta noite.

Stephen Eustáquio: Pé ante pé, como a subtileza que lhe é caraterística, o internacional canadiano vem cimentando o seu posto no onze do FC Porto – sexto jogo consecutivo como titular – e já está perto de superar a utilização da época passada: 11 vezes utilizado na temporada 2021/22, nove até ao momento em 2022/23. Forma uma dupla interessante com Matheus Uribe, sem aspirar a ser um novo Vitinha. Não pauta jogo com a frequência do internacional português, mas compensa com a capacidade de presença na área. Foi assim, aliás, que cavou o fosso com uma assistência e um golo em apenas dois minutos.

Al Musrati: foi a melhor unidade de um Sp. Braga que teve uma noite para esquecer no Estádio do Dragão. Ganhou alguns duelos num setor intermediário em que se viu por várias vezes em inferioridade numérica. Ainda assim, não foi por ali que o FC Porto ganhou verdadeiro ascendente no jogo. Faltou-lhe o devido acompanhamento.

Relacionados

Patrocinados