FC Porto-Gil Vicente, 1-2 (destaques)

Sérgio Pires , Estádio do Dragão, Porto
26 fev 2023, 23:22
FC Porto-Gil Vicente (MANUEL FERNANDO ARAUJO/LUSA)

Murilo estraga a festa a Pepe

FIGURA: Murilo

Uma bola na barra, um vermelho provocado a João Mário, um amarelo logo de seguida tirado a Uribe, um penálti convertido para a reviravolta no marcador, várias ações ofensivas muito perigosas. Murilo pôs em sentido a defensiva portista. Com velocidade e qualidade técnica, fez a cabeça em água ao quarteto mais recuado dos azuis e brancos. Em particular a Wendell, que também pela impossibilidade em controlá-lo acabou por sair ao intervalo para dar lugar a Zaidu. Grande exibição do extremo brasileiro de 28 anos que está a fazer a sua melhor época no Gil Vicente: já leva quatro golos e duas assistências em 20 jogos.

--

MOMENTO: sinal vermelho para o Dragão

Entre golos anulados, bolas na trave, penáltis e tudo o resto, fica difícil escolher qual o ponto de inflexão de um jogo que nos minutos iniciais parecia destinado a um triunfo do FC Porto, mas que o Gil Vicente acabou por virar ainda antes do intervalo. Entre vários momentos determinantes, o mais decisivo terá sido mesmo a expulsão de João Mário. É esse o sinal mais evidente de que a noite haveria de ser para esquecer para os dragões e histórica para os barcelenses. Murilo rompeu, como fez várias vezes esta noite, driblou Pepe e passou a bola sob as pernas de João Mário. O lateral portista corta a bola com a mão. Ficam dúvidas se Marcano ou Wendell ainda podem intercetar o lance. Num primeiro momento, Rui Costa dá amarelo, mas alertado por Tiago Martins vai ver as imagens do VAR e muda para vermelho. A expulsão deixaria o FC Porto com dez aos 36m, mas a imprudência de Uribe, aos 52m, acabaria por agravar ainda mais o cenário para a equipa de Conceição, que ficaria a jogar quase 40 minutos com nove.

--

OUTROS DESTAQUES:

Taremi

13 segundos de jogo e já o iraniano introduzia a bola na baliza. Falso alarme. Porém, Taremi não demoraria muito a fazer balançar as redes e desta vez a contar. Logo aos 4 minutos abriu o marcador num contra-ataque letal. Jogou descaído sobre a esquerda num sistema de 4-2-3-1. Na verdade, a sua perceção do jogo permite-lhe isso. Depois da saída de Namaso, ao intervalo, voltou ao eixo do ataque, e acabou por fazer um jogo em esforço, tentando colmatar a desvantagem numérica da equipa – a jogar com menos dois durante 40 minutos.

Pepe

Que noite inglória para o capitão. Não é todos os dias que se faz 40 anos. Sobretudo quando se é uma figura do futebol mundial e uma referência na posição. A festa ficou estragada para o FC Porto, ainda assim, Pepe não saiu do relvado sem ouvir o público cantar-lhe os parabéns. Apesar de um lance ao minuto 78 em que a cor do cartão poderia ter sido outra, durante 90 minutos fez aquilo que é, para ele, inegociável: mesmo contra a adversidade, nunca virou a cara à luta.

--

Navarro

Apontado ao FC Porto como reforço para o ataque para a próxima época, o espanhol voltou a mostrar porque se tornou num dos mais cobiçados alvos fora dos grandes no mercado. Aos 27m, Navarro voltou a marcar. Apareceu oportuno na área e já lá vão 13 golos na Liga – está a um de João Mário, o líder da tabela de goleadores. O avançado de 25 anos bateu ainda o seu melhor registo de golos numa temporada: 17 no total.

Relacionados

Patrocinados