Belenenses-FC Porto, 1-4 (destaques)

David Marques , Estádio do Jamor, Oeiras
16 jan, 23:00

O matador Evanilson e carteiro Vieira

A FIGURA: Evanilson

Assinou o 1-1 (validado pelo VAR), chegando aí ao décimo golo da conta pessoal nesta temporada. Depois de uma primeira temporada de aprendizagem, subiu a pulso e é hoje peça chave no onze dos azuis e brancos. Inteligente a colocar-se na área, muito trabalhoso para as defesas adversárias, bisou antes da hora de jogo após grande desequilíbrio de Francisco Conceição. Aí, pela forma como adornou o lance para ter o momento certo para executar o remate, mostrou classe. Mas não ficou por aí: já dentro dos dez minutos finais, chegou ao hat-trick de cabeça.

O MOMENTO: expulsão de Yaya Sithole. MINUTO 32

O jogo já era de sentido único, mas a equipa da casa vencia graças a um golo de bola parada e, bem ou mal, ia resistindo aos constantes assaltos dos azuis e brancos. Aos 32 minutos, o médio do Belenenses, que já tinha sido admoestado aos 5 minutos após uma falta sobre Fábio Vieira, perdeu mais um duelo com o jogador do FC Porto e recebeu ordem de expulsão. A partir daí, o campo cresceu (e muito) para os nove jogadores de campo dos lisboetas e o jogou inclinou-se ainda mais a favor do líder do campeonato.

OUTROS DESTAQUES

Luiz Felipe: começou por negar o golo a Vitinha com uma grande defesa a meio da primeira parte, aos 40 minutos estava bem posicionado para negar o golo a Taremi e pouco depois, já em tempo de compensação, negou o 2-1 aos dragões com uma defesa em dose dupla. Sem culpas nos golos sofridos, ainda defendeu um penálti do melhor jogador desta Liga: Luis Díaz.

Fábio Vieira: foi ele quem sofreu as duas faltas que a Yaya Sithole os dois amarelos e a consequente expulsão na primeira parte e esteve diretamente ligado a três golos do FC Porto. O primeiro, no qual Evanilson ‘reciclou’ um remate enrolado dele, o terceiro, num cruzamento perfeito para a cabeça de Taremi e o quarto, batendo o canto que aterrou na cabeça de Evanilson. Esteve perto de um grande golo aos 53 minutos. Grande exibição do carteiro da noite.

Vitinha: bola colada ao pé e sobriedade em quase tudo o que faz em campo, seja no critério com que distribui nos colegas da frente, seja nos equilíbrios sem bola. E tem uma capacidade de chegada tremenda, aparecendo muitas vezes em zonas de finalização, como aconteceu nos 45 minutos iniciais. Saiu pouco antes da hora de jogo para dar lugar a Francisco Conceição quando o Conceição (o treinador) entendeu que estava na hora de lançar mais um desequilibrador no ataque.

Taremi: foi a jogo logo após a expulsão de Yaya Sithole e com ele em campo o domínio do FC Porto foi ainda mais evidente. Confortável a baixar para ligar a equipa, participou em muitos desenhos ofensivos dos dragões. Marcou a fechar a primeira parte, mas o árbitro considerou que fez falta sobre um homem do Belenenses, mas aos 61 minutos atirou a contar de cabeça.

Francisco Conceição: uma semana depois de ter sido decisivo na vitória do FC Porto na Amoreira frente ao Estoril, ajudou a decidir nova visita do dragão à região de Lisboa. Foi a jogo aos 57 minutos e na primeira ação em campo desequilibrou na frente e assistiu Evanilson para o 2-1. Não muito tempo depois, já com o FC Porto a vencer confortavelmente por 3-1, esteve muito perto do golo.

Relacionados

Patrocinados