Boavista-Benfica, 2-2 (destaques)

Sérgio Pires , Estádio do Bessa, no Porto
18 fev, 23:28
Boavista-Benfica

Presente de Sauer em noite de centenário

FIGURA: Gustavo Sauer

Fez o jogo 100 pelo Boavista – tal como Yusupha –, mas apesar da noite de festa foi ele a distribuir presentes. O maior de todos foi aquele remate para o 2-1. Gustavo fez uso do seu temível pé esquerdo e marcou um grande golo com que o Boavista começou a recuperação, a 15 minutos do fim. Sobre o lado direito do ataque o brasileiro fez uma exibição em crescendo e acabou por de novo ser decisivo. Fez o nono golo esta época, em que leva também quatro assistências – a título comparativo, nas três temporadas anteriores fez um total de quatro golos e duas assistências.

--

MOMENTO: Minuto 80. Makouta detona a águia

Se um pontapé de Sauer minou os alicerces, Makouta detonou a águia. Tudo em cinco minutos. Depois de uma excelente arrancada de Kenji Gorré, uma bomba à entrada da área fez o empate no marcador aos 80m e ainda colocou em cima da mesa a hipótese de o Boavista virar o jogo. Não chegou a tanto, mas o Benfica tremeu nos 10 minutos finais e teve de sofrer para segurar até o pontinho do empate.

--

OUTROS DESTAQUES:

Musa

Um ponta-de-lança não precisa de marcar para ser uma das figuras do jogo. O croata é daqueles que não engana. Sabe ler o jogo, jogar de costas para a baliza, atacar o espaço. Esta noite, o avançado de 23 anos cedido pelos checos do Slavia de Praga apareceu oportuno a finalizar em várias ocasiões, mas não foi feliz na finalização. Coube-lhe ainda assim um papel importante na recuperação dos axadrezados. Tabelou com Sauer para o 2-1.

Makouta e Sebastián Pérez

Makouta é o motor do meio-campo axadrezado. O franco-congolês de 24 anos é um todo-o-terreno, tem pulmão para 90 minutos e esta noite provou-se isso mesmo. À medida que o jogo avançava ganhava preponderância, deixando o meio-campo encarnado em alerta com as suas progressões no terreno. Destaque também para o internacional colombiano Sebastián Pérez, determinante na forma como o Boavista ganhou o meio-campo na segunda parte.

--

Taarabt

Foi a grande surpresa no onze de Nelson Veríssimo e surpreendeu. O médio marroquino tem qualidade técnica de sobra e descobre linhas de passe que mais ninguém vê. Abriu o marcador aos 21m, depois de uma notável jogada coletiva. Foi já sem ele em campo que o Benfica acabou por sofrer os dois golos do empate.

Rafa Silva

O grande acelerador do jogo encarnado. Com um toque primoroso para Taarabt abriu caminho ao primeiro golo. Já na segunda parte, teve uma arrancada que podia ter acabado com o jogo.

Grimaldo

Numa primeira parte exuberante, integrou-se bem nas manobras ofensivas da equipa, abrindo sempre bem o seu flanco, acabou até por aparecer na área, para finalizar para o 2-0 aos 30m. O problema foi depois. Os segundos 45 minutos foram de constante assédio dos axadrezados e Grimaldo teve de correr atrás do prejuízo, nem sempre com grande êxito. Uma exibição que espelha bem o desempenho coletivo encarnado.

Relacionados

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados