Saiba tudo sobre o Euro aqui

Rio Ave-Gil Vicente, 0-0 (destaques)

6 dez 2014, 17:58
Adriano Facchini (Lusa)

Adriano, para variar

A figura: Adriano

 
Faltam adjetivos mas não faltam defesas. Jogo após jogo, Adriano vai-se agigantando na baliza do Gil e impedindo que o cenário, por esta altura, seja ainda mais negro. Esta tarde, em Vila do Conde, voltou a ser brilhante. Só na primeira parte teve três momentos brilhantes, o primeiro logo aos 3 minutos, a remate de Ukra, a quem voltou a negar o golo em cima do intervalo. A mais brilhante das defesas, contudo, aconteceu em cima do minuto 20, quando reagiu, quase à queima roupa, a um desvio de Esmael. A falta de pontaria do Rio Ave permitiu-lhe uma segunda parte mais tranquila, mas não lhe roubou o epíteto de estrela do encontro.
 
O momento: Caetano atira à trave


Minuto 67. O Gil ainda não tinha rematado enquadrado com a baliza e não voltou a fazê-lo. Mas quando conseguiu, foi com estrondo. Um canto direto que Cássio, talvez com algum facilitismo, esteve quase a valer a vitória aos de Barcelos. Só desviou para a trave o guardião vila-condense. Que susto.
 
Outros destaques
 
Diego Lopes

Vive a melhor fase da carreira e o carinho com que trata a bola é prova disso mesmo. Esta tarde voltou a ser diabólico para a defensiva contrária, com combinações de belo efeito com os companheiros e passes teleguiados a fugir aos homens de azul. Coloca a bola onde quer e o Gil sofreu muito para o (tentar) controlar.
 
Tarantini

De regresso ao onze, perdeu a braçadeira face à titularidade de André Vilas Boas, mas não deixou de ser o patrão do miolo vila-condense. Jogo prático e inteligente do mestre Tarantini, que pecou apenas no remate. Teve um par de ocasiões para alvejar a baliza, mas disparou sempre por cima.
 
João Vilela

Discreto mas muito eficaz. Se Tarantini organiza os homens de Vila do Conde, João Vilela dá o grito de ordem no Gil. Mesmo que na maior parte do tempo tenha sido para defender. Subiu um pouco no terreno com a entrada de Luan, mas não muito porque o ponto era demasiado saboroso para se arriscar perder tudo.
 
Caetano

Falta no Gil Vicente um armador de jogo com alguma qualidade e é Caetano, outrora extremo, quem procura disfarçar essa lacuna. Jogo interessante, mas muito intermitente. Quando consegue receber de frente para a baliza o Gil chega mais à frente e, pelo menos, ameaça com perigo. Protagonizou o melhor momento da sua equipa no jogo, ao atirar à trave num canto direto.

Gabriel

Imagem perfeita do que foi o Gil Vicente nos Arcos: raça. Muita.

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados