Liga Europa: Sp. Braga-St. Gilloise, 1-2 (crónica)

Bruno José Ferreira , Estádio Municipal de Braga
6 out, 22:04

Cambalhota em sete minutos tira o trono ao Sp. Braga

Invictos até agora no Grupo D , Sp. Braga e Saint Gilloise marcaram uma espécie de cimeira de líderes na pedreira em jogo da terceira jornada da Liga Europa. A quatro minutos dos noventa o Sp. Braga vencia por uma bola a zero com um golo de Abel Ruiz e preparava-se para corrigir a trajetória após a derrota no Dragão.

Mas, em apenas oito minutos o quadro inverteu-se por completo. Gustaf Nilsson saltou do banco para apontar dois golos em apenas sete minutos, impondo ao Sp. Braga uma segunda derrota consecutiva. Um cenário ao qual o conjunto não está, de todo, habituado. Vinha de oito triunfos consecutivos.

Num duelo intenso e equilibrado, apesar de terem momentos de domínio, não é menos verdade que a espaços os bracarenses passaram por calafrios. Calafrios que esfriaram por completo na fase final do encontro. Derrota amarga para o Sp. Braga numa noite inglória.

Aqueceu antes do descanso

Até agora imparáveis no topo da classificação do Grupo D da Liga Europa, somando por vitórias as duas primeiras jornadas, os dois emblemas mediram forças tranquilos. Isso notou-se no início do jogo. Houve equilíbrio, mas a intensidade esteve longe do que se regista em jogos de caráter decisivo.

Os belgas ainda abanaram por duas ocasiões as redes de Matheus, mas em ambos os casos com infrações claras. Primeiro Van der Heyden ajeitou o esférico com o braço antes do remate, depois Nieuwkoop beneficiou de posição irregular. Dois lances a dar alguma cor a uma primeira parte cinzenta que apenas na reta final teve lances dignos de registo.

Cresceu o Sp. Braga, Racic livrou-se das amarrar e obrigou Moris a fazer uma intervenção. Pouco depois foi Ricardo Horta a atirar a centímetros do poste – mas estava também em fora de jogo – antes de Boniface fazer estremecer a baliza bracarense ao atirar ao ferro da baliza de Matheus no último lance da primeira parte.

Fator Nilson a partir do banco

Os quinze minutos de descanso não arrefeceram a toada do encontro, tanto é que o Sp. Braga precisou apenas de quatro minutos para chegar ao golo. Fabiano desequilibrou ao lançar a corrida de Vitinha, que na linha passou atrasado para Abel Ruiz finalizar de primeira. No lance praticamente seguinte Vitinha quase faz o segundo, vendo Moris fazer bem a mancha.

Esperava-se, por estes indicadores, que o Sp. Braga partisse para uma segunda metade dominadora, mas a realidade é que foi o Saint Gilloise a estar por cima na corrida atrás do prejuízo. Sem massacrar – longe disso – o conjunto belga construiu vários lances de perigo. Na mais evidente foi Tormena a negar o golo a Nieuwkoop.

A supremacia fez-se sentir nos derradeiros muitos. De forma letal: Gustaf Nilsson foi lançado a partir do banco, marcou dois golos e operou a cambalhota no marcador com dois golos oportunos na área bracarense. São os belgas que assumem a liderança isolada do grupo, que durante praticamente toda a segunda parte esteve nas mãos arsenalistas.

Patrocinados