Balanço de A a Z: o essencial da Champions em cinco minutos (sete no máximo)

3 nov, 08:17

Terminada a fase de grupos, é a altura certa para ver o que ficou de uma competição que já é histórica para o futebol português (e podia ser ainda mais)

 

Terminou a fase de grupos, pelo que esta é uma boa altura para se fazer balanços. O Maisfutebol deixa-lhe o essencial de uma competição que fica para a história do futebol português. De A a Z, venha daí connosco como se estivéssemos na escola.

____________________________

 

António Silva

Quando ao segundo jogo na Champions, e com apenas 18 anos, empurrou e esticou o dedo na direção de Bonucci, percebeu-se a fibra de que o central é feito. Depois disso também se pegou com Donnarumma, no fim de um jogo fantástico frente ao PSG, e que o lançou em definitivo.

Bellingham

O inglês do Borussia Dortmund alcançou aos 19 anos um feito inédito: tornou-se o primeiro adolescente a marcar nos quatro jogos iniciais de uma edição da Champions. Ultrapassando o recorde de um tal de Haaland que, ainda ao serviço do Salzburgo, tinha marcado em três jogos.

Conceição

O FC Porto venceu quatro jogos seguidos na Champions, o que aconteceu pela terceira vez na história. Curiosamente em todas elas esteve Sérgio Conceição: em 96-97 como jogador, em 18-19 e agora como treinador. Conceição apurou, de resto, a equipa para os oitavos de final pela quarta vez em seis anos e pela segunda vez conseguiu-o vencendo o grupo.

Diogo Costa

Tornou-se o primeiro guarda-redes a defender três penáltis numa edição da Liga dos Campeões: na verdade foram quatro, mas um não contou. Por isso, e porque tem sido uma muralha na baliza do FC Porto, sai desta fase de grupos com o estatuto internacional muito reforçado.

El Cholo Simeone

O At. Madrid acabou pela primeira vez no último lugar do grupo, e por isso saiu da Europa. Os cinco pontos significam a segunda pior participação da história, só batida pelos três pontos de 09-10, quando Quique Flores era o treinador. Nessa época, porém, ainda venceu a Liga Europa.

Francisco Conceição

Estreou-se a marcar pelo Ajax e juntou o nome da família a um grupo restrito: desde o início da Champions em 92-93 só existe registo de sete pais e filhos a marcar na prova. Ayew (Abedi, Andre e Jordan) Kluivert (Patrick e Justin) Zahovic (Zlatko e Luka) Chiesa (Enrico e Federico) Thuram (Lilian e Marcus) Simeone (Diego e Giovanni) e Conceição (Sérgio e Francisco).

Glasgow Rangers

Seis jogos, zero pontos, dois golos marcados e 22 golos sofridos, números trágicos que tornam o Rangers num caso histórico: a pior participação da história da fase de grupos. O regresso à Liga dos Campeões, doze anos após a última participação, não podia, portanto, ter corrido pior.

Haaland

Cinco golos na fase de grupos não parece nada por aí além, sobretudo quando se pensa em tudo o que Haaland tem feito. Mas a verdade é que ninguém marcou tanto quanto ele: o norueguês marcou uma média de 1,25 golos por jogo, ele que só fez dois jogos completos e duas primeiras partes. Ficou por isso acima de Mbappé e Salah, que fizeram 1,17 golos por jogo.

Imbatíveis

O Benfica juntou-se a um grande de pura elite, ao lado de PSG, Man. City e Bayern Munique: as quatro equipas que terminaram a fase de grupos sem derrotas. No entanto, só Benfica e PSG, entre todas as equipas que disputam as provas europeias, ainda não perderam. Fantástico.

João Félix

O trajeto do At. Madrid na Liga dos Campeões foi dececionante e Félix esteve sempre debaixo dos holofotes. Começou num sorriso irónico quando foi substituído frente ao FC Porto, depois amuou ao não entrar frente ao Brugge, chateou-se quando Ferreira-Carrasco não o deixou bater o penálti decisivo (e falhou) e, por fim, acabou desolado, sozinho e triste no banco do Dragão.

Kolo Muani

O avançado de 23 anos, internacional francês, que o Eintracht Frankfurt contratou a custo zero junto do Nantes, deu nas vistas por ter sido o carrasco do Sporting, claro. Mas houve mais. Foi o jogador da fase de grupos que fez mais golos da vitória: dois, um dos quais em Alvalade.

Liga Europa

O Sporting reforça o estatuto de clube com mais presenças na Liga Europa, preparando-se para jogar a segunda competição da UEFA pela 34ª vez (mais duas que o Brugge e mais quatro que Inter Milão e Ajax). O golo de Hojbjerg aos 95 minutos foi, de facto, uma espécie de milagre.

Mbappé

O golo marcado em Turim, frente à Juventus, foi o 40º do avançado francês na Liga dos Campeões, ele que aos 23 anos, 10 meses e 13 dias se tornou o mais novo de sempre a atingir esta marca. O recorde anterior era de Messi, com 24 anos, quatro meses e oito dias.

Nagelsmann

O Bayern foi a única equipa a vencer todos os jogos da fase de grupos, no que é um alerta para o poderio desta equipa. Já Nageslmann tornou-se o primeiro treinador na história da Liga dos Campeões a vencer quatro vezes seguidas o Barcelona (duas na época passada e duas este ano).

O tipo do Nápoles com nome esquisito

Kvaratskhelia começou por dar nas vistas por ter um nome esquisito e aproveitou esta Liga dos Campeões para se tornar figura. Fez dois golos e três assistências, no super-ataque do Nápoles, e saiu desta fase de grupos ao lado de Diogo Costa entre os jogadores que mais valorizaram.

Portugueses

A lista dos jogadores com mais assistências teve dois portugueses no topo: Diogo Jota e João Cancelo acabaram a fase de grupos com quatro passes decisivos. Só Messi, também com quatro assistências, conseguiu igualar os portugueses. André Silva veio logo a seguir com três.

Que pasa, hombre?

Pela primeira vez na história, desde que abriu portas a não campeões, a Espanha só mete uma equipa nos oitavos de final. At. Madrid, Barcelona e Sevilha foram eliminados e deixaram apenas o Real Madrid na Champions. De resto, há nove anos que uma equipa espanhola não terminava no último lugar do grupo: em 2013-14 foi a Real Sociedad, agora o At. Madrid.

Rogerball

Quatro vitórias, dois empates e nenhuma derrota, catorze pontos e o primeiro lugar num grupo que tinha o superfavorito e multimilionário PSG é de facto obra. O Benfica cilindrou a Europa, ultrapassou as melhores expetativas e mostrou que a jogar assim todos os sonhos são possíveis.

Salah

Entrou para a história ao marcar o hat-trick mais rápido da Champions: exatos seis minutos e 13 segundos para a fazer três golos ao Rangers. O anterior recorde era de Luiz Adriano, em 2014, quando demorou 7 minutos e 26 segundo a fazer três golos ao Bate Borisov pelo Shakhar.

Taremi

Mbappé, Messi e Salah. O que fazem aqui estes nomes? Fácil: só estes três gigantes fizeram melhor do que Taremi na fase de grupos da Champions. O iraniano teve participação direta em sete dos doze golos do FC Porto e foi o quarto melhor de toda a prova, só batido por Mbappé (10), Lionel Messi (8) e Salah (também 8). Sintomático do grande momento de Taremi.

UEFA

Primeiro foi o Maccabi, depois o PSG: em ambos os casos as revistas aos adeptos adversários no Estádio da Luz estiveram no olho do furação. A empresa foi acusada de revistar por baixo da roupa interior e de apalpar os adeptos. Ambos os clubes participaram do facto à UEFA.

Verde vermelhão

O Sporting foi claramente a equipa mais indisciplinada da fase de grupos. Foi a única, aliás, a ter três jogadores expulsos: Adán, Esgaio e Pote. Curiosamente todos frente ao Marselha. Para além disso, recebeu 17 amarelos, no que foi batida apenas por Leverkusen (18) e Brugge (21).

Winner

Carlo Ancelotti igualou, com o triunfo sobre o Celtic na última jornada, o mítico Alex Ferguson no topo da lista de treinadores com mais vitórias na Champions: exatamente 102. Sendo que no caso de Ancelotti não é contabilizado o triunfo do Milan na secretaria sobre o Inter em 2005.

Xavi

Pelo segundo ano consecutivo, o sucessor de Guardiola foi incapaz de manter o Barcelona na Liga dos Campeões: o terceiro lugar no grupo afastou a equipa da prova. É a segunda vez que o Barça disputa a Liga Europa nos últimos vinte anos, e ambas foram com Xavi a treinador.

Yes!

Quatro equipas inglesas, quatro alemãs. A Liga Inglesa deu uma prova de força e apurou os quatro representantes para os oitavos de final, enquanto a Bundesliga também apurou quatro, mas entrou com cinco representantes. No caso inglês, de resto, três dessas quatro formações vão ser cabeças-de-série no sorteio. A Itália  apurou três equipas, Portugal apurou duas, Espanha, França e Bélgica apuraram uma.

Zangas

Houve muitas, claro. É impossível esquecer, por exemplo, o bate-boca de Nuno Tavares com Ruben Amorim. Ou a discussão de Neymar com Luisão, com Rafa, com Enzo Perez, enfim... com o mundo. «Neymar joga muito, mas é chato para caramba», resumiu João Mário.

 

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados