Segurança Social “é implacável quando há situações inaceitáveis” como a da Lourinhã, diz Ana Mendes Godinho

Agência Lusa , PF
8 mar 2023, 16:51
Idosos do lar da Lourinhã vão começar a ser retirados ainda hoje

A governante apelou à denúncia de suspeitas de maus-tratos para haver uma “sinalização imediata” da Segurança Social

A ministra da Solidariedade e da Segurança Social disse esta quarta-feira que a Segurança Social “tem de ser e é implacável sempre que haja situações inaceitáveis”, referindo-se ao encerramento do lar da Lourinhã por maus-tratos aos utentes.

“A Segurança Social tem de ser e é implacável sempre que haja situações inaceitáveis da forma como as pessoas são acompanhadas e tratadas, e foi o que fez, como fez com 117 lares em 2022”, disse Ana Mendes Godinho aos jornalistas, em Lisboa, à margem da visita a uma companhia de seguros, no âmbito da entrega do Diploma de Igualdade Salarial, um reconhecimento feito pela Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego.

A governante apelou à denúncia de suspeitas de maus-tratos para haver uma “sinalização imediata” da Segurança Social e um acompanhamento “quando a situação não é demasiado grave” ou medidas como o encerramento, em casos mais graves.

Em relação ao lar Delicado Raminho, no Vimeiro, no concelho da Lourinhã, a ministra disse que “a Segurança Social fez a avaliação e não havia condições para continuar e, portanto, decretou o encerramento e está a encontrar soluções para cada uma das pessoas deste lar”.

Ana Mendes Godinho alertou para a demora do processo, explicando que as soluções encontradas vão ser “à medida de cada pessoa” e tomadas em conjunto com as famílias, podendo passar pelo regresso a casa ou por institucionalizações em lares propostos pela Segurança Social.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Mais Lidas

Patrocinados