Turano, Scanno, Iseo, Nemi, Orta, Trasimeno: conheça os lagos italianos que os turistas ainda não ouviram falar

CNN , Silvia Marchetti
2 jun, 16:00
A aldeia medieval de Castel di Tora é uma de duas que se situa na margem deste lago criado artificialmente, localizado numa zona rural selvagem a norte de Roma. (Davide Seddio/Moment Unreleased RF/Getty Images)

Os turistas deslocam-se regularmente a Itália para desfrutar das suas praias e ilhas, admirar as suas cidades históricas e, claro, apreciar a comida.

Recentemente, têm vindo em muito maior número, deixando alguns destinos sobrecarregados. No entanto, ainda há sítios a visitar que oferecem uma fuga às multidões e paisagens deslumbrantes.

Estamos a falar de lagos. Mas não do Lago de Garda, a enorme massa de água que se aninha nos Alpes, repleto de cidades turísticas. E não do Lago Como, o favorito das celebridades.

Taly tem dezenas de pequenos lagos secretos com paisagens soberbas, desconhecidos do turismo de massas, onde os habitantes locais se reúnem em passeios de um dia e desfrutam de piqueniques.

Estes são alguns dos melhores:

Lago Turano

Um dos segredos mais bem guardados do Lácio, a região à volta de Roma, é o Lago Turano (na foto de capa). Os visitantes de Roma, muitos dos quais murcham durante o calor dos verões ardentes da Cidade Eterna, não fazem ideia de que nas proximidades se encontra um lugar encantado que tem as vistas, a história, a comida e uma bem-vinda lufada de ar fresco.

Inicialmente, não era suposto ser um local de férias. Quando Benito Mussolini, o antigo ditador italiano, ordenou a construção deste lago artificial na década de 1930 para fornecer água às centrais eléctricas das redondezas, a última coisa que esperava era que se transformasse num retiro de desintoxicação de fim de semana para pessoas que ansiavam por espaços abertos.

O Lago del Turano tem uma localização ideal, perto da capital mas longe do barulho e do caos.

Situado na zona rural selvagem a norte de Roma e rodeado de colinas, o local foi outrora o lar dos Fallisci, uma antiga tribo, antes de serem dizimados pelos antigos romanos.

Vacas e ovelhas que andam à solta cumprimentam os visitantes ao longo de uma estrada cortada por uma floresta profunda que conduz ao lago. Uma vez fora da floresta, a paisagem hipnotizante do lago obriga os condutores a parar num miradouro com bancos para apreciar a vista.

O lago está repleto de carpas gigantes que atraem pescadores de toda a Itália para concursos de pesca.

Duas pitorescas aldeias de casas de pedra com varandas panorâmicas têm vista para o Lago Turano - a medieval Castel di Tora, no topo de um penhasco, e a ainda mais antiga Colle di Tora, situados mesmo junto à costa. Há também uma península alta que se projeta para o lago, com um antigo mosteiro no topo.

A água é cristalina e as margens de pedras estão salpicadas de instalações de praia onde se pode alugar botes, canoas, barcos ou simplesmente bronzear-se e apanhar sol em águas quase tropicais.

Apenas uma ponte metálica passa sobre a água, ligando Castel di Tora à estrada principal. No inverno, a maior parte das casas de férias estão fechadas e as ruelas estreitas estão praticamente desertas, à exceção dos gatos. Na primavera, os habitantes locais enfeitam os seus pátios exteriores e socializam na pequena piazza.

O peixe fresco é servido no restaurante L'Angoletto, uma casa de pedra com uma varanda panorâmica aberta sobre o lago. O Hotel Turano tem quartos acolhedores e simples à beira do lago e um restaurante que serve especialidades locais.

Lago Scanno

O Lago Scanno é conhecido pelos seus fenómenos invulgares. (Davide Pischettola/NurPhoto/Getty Images)

No entanto, o mais intrigante de todos os lagos é o Lago Scanno, a "pérola" da região de Abruzzo, no leste de Itália, que tem tanto de belo como de misterioso.

Ao longo dos anos, foram inventados contos e mitos sobre este lago verde profundo, em forma de coração, que persistem até hoje, atraindo cientistas e investigadores paranormais que tentam encontrar explicações para acontecimentos estranhos que há muito confundem os habitantes locais.

Rodeado pela cadeia montanhosa dos Apeninos, diz-se que este lago natural, cujo nome deriva da aldeia que se ergue sobre ele, tem poderes mágicos.

Os habitantes locais acreditam que o lago está vivo e alguns já relataram fenómenos invulgares, como lâmpadas a estilhaçar, ecrãs de televisão a explodir e candeeiros de teto a dançar como se tivesse ocorrido um pequeno terramoto.

Contam também histórias de outros acontecimentos inexplicáveis: descidas repentinas do nível da água, bússolas de mergulhadores a ficarem loucas e peixes mortos e até armas da Segunda Guerra Mundial, há muito perdidas, a flutuarem à superfície. Diz-se que há um misterioso objeto não identificado enterrado no leito do lago.

A atmosfera invulgar do Lago Scanno é quase palpável. Nos dias inebriantes do verão, a sensação de mistério paira no ar quente.

Apesar da sua cor verde, causada por algas inofensivas na água, é permitido tomar banho aqui, assim como praticar windsurf. O lago é também propício à exploração, com um trilho chamado "Caminho do Coração" que circunda as suas margens e inclui uma igreja, que se diz ser um local de milagres, e uma antiga ermida.

Ao longo das margens, há uma praia equipada para os banhos de verão. Há trilhos para bicicletas de montanha e é possível alugar riquexós, barcos a remos e canoas. Outras instalações incluem um parque infantil e uma área de estacionamento para campistas.

O Agriturismo Miralago, à beira do lago, é uma quinta e um alojamento de acomodação e pequeno-almoço, onde os cavalos andam à solta. Serve pratos tradicionais como tagliatelle com javali. A aldeia de Scanno, um puzzle de luxuosas mansões burguesas e humildes habitações de pastores decoradas com vasos de flores brilhantes, é imperdível.

Lago Iseo

Situado a poucos quilómetros de Milão, este local pitoresco, formado a partir da pura água de fusão glaciar dos Alpes, é também uma fonte de excelentes vinhos espumantes, produzidos a partir de uvas cultivadas nas suas margens.

O lago tem três ilhas. As duas mais pequenas são privadas, enquanto a maior, Montisola, uma enorme montanha que sobressai das águas azuis profundas, é o paraíso para os amantes da natureza.

Aqui, os visitantes podem alugar canoas ou barcos de pesca para um passeio privado pelo lago. Outra atração à beira-mar são as habitações coloridas construídas para os pescadores que se erguem sobre palafitas à beira da água, entre elas o restaurante Locanda al Lago, conhecido pelos seus pratos de peixe e pelas sardinhas penduradas na doca para secar. O Hotel Sensole é um palácio barroco à beira do lago que contém um bistrot gourmet.

Lago Nemi

O Lago Nemi, perto de Roma, situa-se numa cratera vulcânica extinta. (e55evu/iStockphoto/Getty Images)

Este pequeno lago, situado para lá dos subúrbios do sudoeste de Roma, é o local onde os habitantes locais se reúnem para os almoços de domingo com as tradicionais sandes de porco porchetta e vinhos tintos inebriantes.

Estão a seguir as pegadas dos seus antigos antecessores. Nos tempos do império romano, os senadores e as famílias ricas vinham para aqui relaxar em retiros luxuosos nas margens de Nemi, onde morangos suculentos crescem entre ruínas arqueológicas e florestas densas.

Situado entre as colinas de Colli Albani, nos arredores de Roma, o lago é de origem vulcânica e encontra-se numa cratera extinta. É acessível a pé ao longo de uma antiga rota que desce de uma aldeia nas encostas acima, que partilha o nome do lago.

O B&B Lago di Nemi, situado à beira do lago, é uma antiga quinta remodelada que aluga bicicletas, enquanto o restaurante La Fiocina, na margem, serve especialidades de peixe, como o jaquinzinho frito com pimentos verdes.

Lago Orta

Orta é uma das jóias secretas da região italiana do Piemonte, normalmente ignorada pelos visitantes que se dirigem ao Lago Maggiore, mais turístico, nas proximidades.

Criado pelo degelo de um glaciar alpino, é um idílio tranquilo com aldeias pitorescas, capelas e torres medievais ao longo das suas margens. No meio de Orta, a ilha-mosteiro de San Giulio ergue-se da água.

Para além de uma miríade de trilhos para ciclismo e equitação, é possível praticar esqui aquático e até mergulho nas águas translúcidas das suas praias de pedra. L'Approdo é um restaurante e hotel de quatro estrelas à beira do lago com um terraço panorâmico e uma piscina.

Lago Trasimeno

O Lago Trasimeno está localizado numa parte menos turística da região da Úmbria. (Christiana Stawski/Moment RF/Getty Images)

Este lago pouco profundo, formado há milénios por movimentos tectónicos da crosta terrestre, situa-se numa zona menos turística da Úmbria, onde apenas os habitantes locais têm casas de férias e as lojas da aldeia de Castiglione não vendem as habituais recordações.

As margens do Trasimeno estão salpicadas de aldeias medievais e pontes de madeira que atravessam a água e que são óptimas para observar aves e beber um copo ao pôr do sol.

Nas praias do lago pode alugar-se equipamento de windsurf e de kite.

O B&B Dolce Dormire tem quartos acolhedores no antigo bairro de Castiglione, enquanto La Casa di Campagna é uma quinta rural e uma taberna que serve especialidades locais.

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados