Covid-19: Governo deixa "em aberto" diminuição do período de isolamento para 5 dias

3 jan, 21:30

As declarações de Lacerda Sales surgem poucas horas depois de a Autoridade de Saúde Regional dos Açores ter reduzido o período de isolamento profilático para cinco dias.

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales disse esta segunda-feira em entrevista à CNN Portugal que “fica em aberto” a possibilidade da diminuição do período de isolamento para infetados com covid-19 assintomáticos e de contactos de risco para 5 dias.

Lacerda Sales diz que esta mudança não é esperada “de momento”, mas explica que possa surgir mediante a evolução pandémica. “Pode haver ajustamentos posteriores. Faz depender da evolução epidemiológica, da transmissibilidade da doença e do não aparecimento de novas variantes”, afirmou.

Questionado sobre se essa decisão será ponderada na reunião do Infarmed que regressa esta quarta-feira com o Governo e peritos, Lacerda Sales diz que primeiro são “tomadas decisões de suporte técnico e, só depois, decisões políticas”. O secretário de Estado revela ainda que as prioridades do Executivo na luta contra a covid-19 são proteger o serviço de saúde, acelerar a vacinação e a testagem e proteger os cidadãos mais vulneráveis.

A diminuição do período de isolamento de 10 para 7 dias, tomada pela DGS na última semana de dezembro, ainda não entrou em vigor, porque a norma ainda não foi completamente produzida. Mas o governante garante que, embora não tenha data, a mudança entrará em vigor ainda esta semana.

Professores vão ser vacinados durante a tarde nos dias 6,7,8 e 9 de janeiro

Esta segunda-feira, Lacerda Sales deu a garantia que o regresso às aulas acontecerá mesmo no dia 10 de janeiro e à CNN Portugal justificou esta urgência por o ensino presencial ser “importante para a saúde mental, física e social das crianças”. Contudo, não nega que este período seja marcado por “maiores cruzamentos” entre alunos, pais, docentes e não docentes. 

“Pode vir a ser necessário confinar e isolar”, admitiu, apontando para a diminuição do período de isolamento profilático como uma “forma de mitigar o impacto”. Além do ajuste de normas, Lacerda Sales apelou a que os alunos se vacinem em massa nos dias 6, 7, 8 e 9 de janeiro, pedido longe da meta dos 600 mil: “Temos mais de 100 mil crianças autoagendadas para este período. Já vacinámos 96 mil crianças”.

Com o intuiuto de vacinar mais, Lacerda Sales crê que existirão mais oportunidades dedicadas exclusivamente à vacinação das crianças, ainda que não haja nenhuma data marcada. "Nenhuma criança ficará por vacinar, poderão eventualmente existir outros períodos, mais ou menos dilatados", disse.

Além dos alunos, Lacerda Sales adiantou à CNN Portugal que existe uma “capacidade reforçada de vacinação”, pelo que o núcleo de coordenação, em conjunto com o Governo, decidiu que as tardes dos dias 6,7,8 e 9 de janeiro vão ser dedicadas à vacinação dos professores de todos os graus de ensino e dos profissionais de creches e ATL. 

Esta vacinação será feita através do regime Casa Aberta, recorrendo a senhas digitais. Para que o profissional possa ser vacinado apenas precisa de mostrar um documento que comprove o seu emprego, disse Lacerda Sales.

 

EM ATUALIZAÇÃO

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados