Uma ave (ou melhor, a ave) quase causou um incidente diplomático

CNN Portugal , CNC
26 mai 2023, 14:00
Pássaro Kiwi (Twitter/Zoo de Miami)

A forma como o símbolo de uma nação foi tratada num zoo dos Estados Unidos enfureceu milhares de neozelandeses e até envolveu o chefe de governo dos 'kiwis'

O tratamento dado pelo zoo norte-americano de Miami a uma ave que é símbolo da Nova Zelândia não passou despercebido a milhares de neozelandeses, que de imediato manifestaram o seu desagrado. À primeira vista, permitir aos visitantes que alimentem um kiwi parece algo inofensivo, mas longe disso.

Num vídeo divulgado nas redes sociais, "Paora" é afagado pelo tratador numa sala com luzes fortes. O problema é que os kiwi são aves noturnas e que apreciam o isolamento. Nas imagens é possível ver o animal a tentar esconder-se numa caixa, sem sucesso. 

Em apenas algumas horas, o vídeo dos alegados maus-tratos a "Paora" tornou-se viral e deu origem à petição "Ajude a salvar este kiwi maltratado", assinada por milhares. 

De acordo com o The Guardian, várias pessoas enviaram também e-mails ao zoo a queixarem-se do tratamento a que o animal foi sujeito. Quase de imediato, o Departamento da Conservação norte-americano disse que iria reavaliar a situação da ave com a Associação Americana de Zoos e Aquários "para resolver alguns dos problemas de alojamento e manuseamento levantados”.

A polémica chegou ao governo neozelandês, com o primeiro-ministro, Chris Hipkins, a saudar a preocupação dos neozelandeses "que se aperceberam de imediato" do que estava a acontecer.

Chris Hipkins sublinhou ainda que o jardim zoológico fez "declarações públicas de arrependimento sobre o que aconteceu", as quais agradeceu, por mostrarem que "levaram o assunto a sério".

O porta-voz do zoo de Miami, Ron Magill, admitiu que tinha sido “cometido um grande erro" e que, após as queixas recebidas, alertou imediatamente o diretor de que tinham ofendido uma nação.

"Em nome de todos, pedimos as nossas mais sinceras desculpas pelo stress causado por um vídeo que mostra o manuseamento/alojamento do kiwi 'Paora'. Com efeito imediato, os encontros com o kiwi foram cancelados", garantiu, em comunicado, o zoo de Miami.

Muitos americanos ficaram surpreendidos com a falta de conhecimento do zoo de Miami sobre as características da ave. "Pensava que os jardins zoológicos eram compostos por zoólogos, veterinários, etc, especialistas que conhecem e se preocupam com as necessidades sociais e ambientais únicas dos animais. Então, porque é que as necessidades do kiwi foram aparentemente ignoradas?", escreveu uma utilizadora nas redes sociais.

O zoo cobrava cerca de 20 euros para conhecer e afagar "Paora", que, apesar de ser o símbolo da Nova Zelândia, nasceu nos Estados Unidos como parte de um programa de reprodução. 

Segundo a petição, o kiwi "Paora" foi "sujeito a uma luz fluorescente intensa quatro dias por semana, sendo manuseado por dezenas de estranhos, acariciado nos seus bigodes sensíveis, ridicularizado e exibido como um brinquedo".

"Os kiwis são animais noturnos, que deveriam ser mantidos em recintos escuros adequados e ser manuseados o mínimo possível", argumentaram os defensores da ave.

Muitos queriam que "Paora" fosse devolvido à Nova Zelândia, mas o zoo de Miami garantiu que o kiwi encontra-se num ambiente adequado, num local escuro e sem estar exposto a luzes fluorescentes.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados