Porque é que Kaliningrado pode ser o próximo foco de conflito na guerra contra a Ucrânia

CNN , Tim Lister e Rob Picheta
22 jun, 11:24
Foi pedido aos moradores de Kaliningrado que não entrassem em pânico depois do aumento das tensões, esta semana

Eis o que precisa de saber sobre Kaliningrado, a sua história e a sua importância para a Rússia

As tensões estão a aumentar em torno do enclave russo de Kaliningrado, um território isolado, mas estrategicamente importante na costa do Báltico, que em breve poderá ser arrastado para a guerra do Kremlin.

A Rússia reagiu furiosamente depois de a Lituânia ter proibido a passagem de mercadorias sancionadas pelo seu território e por Kaliningrado. Mas a Lituânia diz que está apenas a cumprir as sanções da União Europeia, e o bloco europeu apoiou essa decisão.

A disputa ameaça agora aumentar as tensões entre Moscovo e a UE, que divulgou vários pacotes de sanções a produtos russos.

Eis o que precisa de saber sobre Kaliningrado, a sua história e a sua importância para a Rússia.

O que desencadeou esta discussão?

Desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, no final de fevereiro, os especialistas têm vindo a recear que Kaliningrado se possa tornar um foco de conflito nas tensões entre Moscovo e a Europa.

É o território mais ocidental da Rússia e a única zona do país cercada por Estados da União Europeia. A Lituânia situa-se entre Kaliningrado e a Bielorrússia, um país aliado da Rússia, enquanto que a Polónia faz fronteira a Sul.

Na segunda-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a medida não tinha precedentes e que era considerada ilegal por parte da Rússia. “Faz parte de um bloqueio, obviamente”, disse ele. Outros representantes russos ameaçaram com uma resposta.

Nikolai Patrushev, Secretário do Conselho de Segurança da Federação Russa, garantiu que “a Rússia, certamente, responderá a estas ações hostis". "As medidas estão a ser elaboradas num formato interdepartamental e serão tomadas num futuro próximo. As suas consequências terão um impacto negativo severo sobre a população lituana”, disse, segundo a agência de notícias estatal russa RIA Novosti.

Os produtos sancionados e impedidos de serem exportados para o território russo pela União Europeia incluem máquinas de construção, ferramentas mecânicas e outros equipamentos industriais, segundo a agência de notícias estatal russa TASS, citando o Ministério do Desenvolvimento Económico. Também estão incluídos alguns bens de luxo.

A Lituânia não impôs restrições “unilaterais, individuais ou adicionais”, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros do país em comunicado, esta segunda-feira.

O diplomata da Lituânia em Moscovo foi convocado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, na segunda-feira, e foi-lhe dito que, se a passagem de mercadorias para a região de Kaliningrado não fosse completamente reposta, a Rússia reservar-se-ia o direito de tomar medidas para proteger os seus interesses nacionais.

Mas a União Europeia, cujas sanções a Lituânia está a cumprir ao bloquear a passagem, apoiou o seu estado-membro.

Há fotografias da guerra da Rússia na Ucrânia expostas ao longo da estação ferroviária por onde passam os comboios de Moscovo para Kaliningrado, como parte de um protesto de alguns lituanos contra a invasão

Numa declaração à Reuters, Dmitry Lyskov, representante do governo regional, foi obrigado a pedir aos residentes que não entrassem em pânico em resposta às ameaças.

Os produtos sancionados terão agora de viajar por mar. Um representante lituano, Rolandas Kacinskas, disse na terça-feira que “o trânsito de passageiros e mercadorias não sancionadas da UE para a região de Kaliningrado, através do território da Lituânia, prossegue sem interrupções". "[A Lituânia] não impôs qualquer restrição unilateral, individual ou adicional a esse trânsito e está a agir em total conformidade com a legislação da União Europeia.”

O que é Kaliningrado?

Kaliningrado é um enclave russo entre a Polónia e a Lituânia. Foi capturado aos Nazis pelas tropas soviéticas em abril de 1945 e tornou-se depois parte do território soviético como resultado do Acordo de Potsdam. Em 1946, perdeu o nome alemão Königsberg e passou a ser Kaliningrado.

Durante décadas, foi uma região fortemente militarizada, fechada a estrangeiros. Mas, nos últimos anos, Kaliningrado tornou-se um destino turístico emergente e recebeu jogos durante o Campeonato do Mundo de 2018, na Rússia.

Tem uma população de cerca de um milhão de pessoas, a maioria das quais vive dentro ou perto da capital com o mesmo nome. O enclave é uma das regiões mais prósperas da Rússia, com uma extensa indústria. O porto de Baltiysk é o porto mais ocidental do território russo e, algo de extrema importância, não tem gelo durante todo o ano.

As ruas da cidade principal estão repletas de grandes exemplos da antiga arquitetura alemã ao lado dos sombrios edifícios soviéticos de apartamentos.

Kaliningrado na preparação para o Campeonato do Mundo de 2018, que colocou a região na sua maior plataforma cultural internacional até hoje

Mas a importância de Kaliningrado vem principalmente da sua localização no mapa. Uma fina faixa de terra ao sul de Kaliningrado separa a região da Bielorrússia e liga o território polaco e lituano. Conhecido como Corredor de Suwalki, é a única ligação terrestre entre os estados bálticos e a restante União Europeia.

Kaliningrado é também a sede da Frota Russa do Báltico. A RIA Novosti informou na segunda-feira que a frota tinha iniciado exercícios com rockets e artilharia, há muito planeados, dizendo que “cerca de 1000 militares e mais de 100 unidades de equipamentos militares e de artilharia, bem como unidades de mísseis, estão envolvidos nas manobras.”

Em 2002, a União Europeia e Moscovo chegaram a um acordo sobre as viagens entre a Rússia e Kaliningrado, antes de a Polónia e a Lituânia entrarem na União Europeia em 2004. Quando estes países se tornaram estados-membros, o enclave ficou cercado por três lados por território da UE. A Rússia diz que o acordo de 2002 foi agora violado.

Presença nuclear?

A importância de Kaliningrado tornou-se ainda maior para a Rússia com a planeada adesão da Suécia e da Finlândia à NATO. Dmitry Medvedev, vice-presidente do Conselho de Segurança Nacional da Rússia, disse em maio que os planos de adesão significam que “já não será possível falar sobre qualquer estatuto não-nuclear do Báltico – e o equilíbrio deve ser restaurado.”

A Rússia é relutante, há muito tempo, à presença de países da NATO à volta de Kaliningrado. “Moveram a infraestrutura da NATO para junto das nossas fronteiras”, disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, à CNN em 2015, após relatos de que a Rússia tinha levado para a região mísseis Iskander com capacidade nuclear. “E este território não é dos Estados Unidos.”

A Rússia não admitiu possuir armas nucleares em Kaliningrado, mas em 2018, a Federação de Cientistas Americanos concluiu que a Rússia modernizou significativamente um bunker de armazenamento de armas nucleares na região, com base na análise de imagens de satélite.

Desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, a Lituânia tem apelado à NATO para que aumente o envio de tropas para o seu território. Em abril, o presidente Gitanas Nauseda disse que a Unidade de Presença Avançada Reforçada da NATO devia ter “pelo menos”, o tamanho de um batalhão, e pediu reforços para o Corredor de Suwalki.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados