Australiano impedido de sair de Israel durante oito mil anos por não pagar pensão de alimentos

CNN Portugal , JGR
29 dez 2021, 09:54
Seis palestinianos fugiram de prisão de alta segurança em Israel
Seis palestinianos fugiram de prisão de alta segurança em Israel

O sistema de justiça israelita impede-o de abandonar o país até 31 de dezembro do ano 9999

PUB

Um cidadão australiano que vive em Israel diz estar sujeito a uma restrição de viagem de oito mil anos, devido a uma dívida de 2,1 milhões de euros, por falta de pagamento da pensão de alimentos. O sistema de justiça israelita impede-o de abandonar o país até 31 de dezembro do ano 9999.

Noam Huppert, um químico de 44 anos que trabalha para uma empresa farmacêutica, mora em Israel desde 2012, um ano após a sua ex-mulher, de nacionalidade israelita, ter decidido voltar para o país com os filhos do casal. 

PUB

Um ano depois, em 2013, a sua ex-mulher levou o australiano a tribunal, que acabaria por determinar o pagamento de aproximadamente 1400 euros mensais por cada um dos dois filhos, até completarem 18 anos.

Enquanto não tiver pago a soma determinada pelo tribunal, Noam está impossibilitado de abandonar o país, incluindo por motivos de trabalho.

Porém, nada fazia prever o elevado número de anos aplicado na sua restrição de viagem, que Huppert acredita ter sido escolhido arbitrariamente por ser a data mais alta permitida pelo sistema informático.

PUB
PUB
PUB

“Estou preso em Israel desde 2013”, afirmou o australiano ao portal de informação australiano news.com.au, acrescentando que é apenas um dos muitos estrangeiros “perseguidos pelo sistema de justiça israelita”.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados