opinião

A vida tal como ela é

29 jun, 07:00

Notas Soltas

Retomo um tema a que sou sensível. Tenho utilizado nas minhas redes sociais a afirmação: "A vida tal como ela é" . É uma frase simples, facilmente apreensível, mas que tem necessariamente um sentido lato.

Apesar de tudo o que se passa à nossa volta existe a sensação de estarmos incompletos.

No centro da nossa civilização, está o conhecido axioma de Sócrates "conhece-te a ti mesmo". Está inscrito no oráculo de Delfos.

Vejamos: antes da internet, a identidade de cada um estava definida pelos contextos e pelas circunstâncias de cada um. Dizíamos frequentemente citando Ortega Y Gasset "somos nós e as nossas circunstâncias". Acontece que com a globalização digital, esta análise caiu em desuso ou melhor passou a ser mais complexa do ponto de vista realista sobre a interpretação da identidade que é neste momento o "moderno" assunto de estudo para os contemporâneos. Na verdade, passamos a estar mais dependentes dos outros. O que ganhamos em informação perdemos em liberdade. Não somos mais donos do nosso destino. Vivemos condicionados pelo contexto. Na sociedade "hipermoderna", o nome dado por alguns pensadores aos tempos actuais, aumentaram a solidão, o isolamento e a "tristesse" como dizem os franceses. De resto, já em 1990 o Italiano Gianni Vattino tinha alertado para o mundo dominado pelas novas tecnologias e de que forma isso afectaria maleficamente as relações humanas.

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados