opinião

A Era Montenegro 

4 jul, 07:00

Notas Soltas

Luis Montenegro não é um maratonista. É um corredor de fundo. Mostrou isso nos últimos anos. Foi a jogo contra Rui Rio. Perdeu. Voltou a jogo e acabou por chegar à liderança do PSD. Pelo caminho, fez o trabalho de casa. Preparou-se politicamente. E intelectualmente. Mostrou isso nos primeiros três minutos do seu discurso de vitória ao citar um dos mais importantes pensadores contemporâneos, o sociólogo Alemão, Ulrich Beck que há 30 anos escreveu  sobre a “ sociedade de risco”. 
Luis Montenegro percebeu que só conseguiria fazer oposição em sossego se concretizasse a aglutinação interna, prevenindo eventuais movimentações dos  espíritos mais inquietos que pululam no universo do PSD. Para já, terá conseguido, mas o caminho é longo. O PS tem uma maioria absoluta e António Costa é um “ animal político “, na concepção Aristotélica da expressão. É certo que o chefe do governo vai ter que ganhar um segundo fôlego, depois da crise “Pedro Nuno Santos”. Mas o que resulta deste fim de semana, é que o PS e o governo vão passar a ter uma oposição , que estava adormecida, do PSD. Isso parece-me claro.

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados