opinião

José Eduardo dos Santos

29 jun, 11:11

Notas soltas

José Eduardo dos Santos está em morte cerebral. O que é que isto significa? Significa que, não obstante ter funções cardíacas, o cérebro não funciona mais. Quando assim é, torna-se necessário conhecer o que diz a legislação dos países sobre esta matéria. Em Portugal, se o doente estiver num hospital público, os médicos terão de desligar as máquinas num prazo de 48 horas. Em Espanha, não sei se o prazo é idêntico. Essa decisão é sempre tomada depois de várias conversas com a família. É um princípio de ética médica.

Questão fundamental: José Eduardo dos Santos não está internado num hospital público. Está num hospital privado. Quando assim é, a família pode decidir manter o doente “artificialmente” vivo durante dias, meses ou anos. Se os órgãos aguentarem e a instituição privada o permitir. Exercício de memória: há quantos anos estará Michael Schumacher em morte cerebral?

Voltando ao caso de JES, em suma: está em morte cerebral? Está. Está num hospital público? Não. A decisão é da família e dos médicos? É. Mas, encontrando-se num hospital privado, a sua “vida “ pode ser prolongada? Pode.

Quanto à gestão política que à Presidência Angolana está a fazer do caso JES, esse será tema para outra crónica.

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados