"Arrancaram-te dos meus braços". Filhos mais velhos de José Eduardo dos Santos desconheciam entrega de corpo à viúva

Rafaela Laja , com Lusa
20 ago, 11:59

Corpo do antigo presidente de Angola já foi entregue a Ana Paula dos Santos e chega este sábado a Luanda. Tchizé e Isabel dos Santos reagiram nas redes sociais

Cinco filhos do ex-presidente de Angola José Eduardo dos Santos desconheciam que o corpo do pai tinha já sido entregue à viúva e ponderam queixar-se ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, disse este sábado a advogada que os representa à agência Lusa .

Carmen Varela, advogada de Tchizé dos Santos - que disputava na justiça espanhola a custódia do corpo com Ana Paula dos Santos, antiga mulher de José Eduardo dos Santos - disse que desconhecia a entrega do corpo a umas das partes, que havia ainda recursos por decidir em tribunal, embora não tivessem efeitos suspensivos, e que não houve qualquer notificação judicial.

"Alguma coisa aconteceu. Uma das partes não ter conhecimento disto é estranho, para qualificar a situação de alguma forma", disse a advogada Carmen Varela.

Tchizé dos Santos já reagiu nas redes sociais, onde partilhou um vídeo do momento em que o corpo do pai saiu de Barcelona. Nas imagens, divulgadas pela televisão angolana TPA, é possível ver-se Ana Paula dos Santos a acompanhar a operação. 

"Ana Paula acaba de tornar-se a mulher mais odiada de Angola, por mérito próprio. Espero que ela consiga viver com isso", escreveu Tchizé, no Instagram. 

Mais tarde, Tchizé apelou a um funeral do pai "organizado com o devido tempo" e reiterou que avalia uma queixa nas instâncias europeias por violação de Direitos Humanos.

Através de um comunicado dos seus advogados, Tchizé dos Santos diz ter tido conhecimento esta manhã, através de imagens emitidas pela televisão pública angolana, que o corpo do seu pai tinha sido entregue à viúva, Ana Paula dos Santos.

"Por causa desta situação", Tchizé dos Santos e quatro dos seus irmãos "não puderam despedir-se do seu pai", pelo que a filha do ex-Presidente de Angola afirma que, "quando se esclarecer o ocorrido, avaliará se houve uma violação dos seus Direitos Humanos e dos seus irmãos", lê-se no mesmo comunicado.

Tal como Tchizé, também Isabel dos Santos recorreu às redes sociais para enviar uma mensagem:

"Levaste-me ao altar e eu não te poderei levar à tua última morada. O ódio dos homens falou mais forte hoje. Arrancaram-te dos meus braços", escreveu a filha do antigo presidente angolano. 

 

Horas depois, José Eduardo Paulino dos Santos, mais conhecido pelo nome artístico de Coréon Dú, revelou que não estará presente no funeral do pai em Angola: "Infelizmente na sua partida foi-me roubada a oportunidade de dar-lhe o seu último adeus na terra que nos viu nascer", escreveu, no Facebook.

O Governo de Angola anunciou este sábado que chegam à tarde a Luanda os restos mortais do antigo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, que morreu em 8 de julho, em Barcelona, Espanha.

Duas fações da família dos Santos disputavam, na Vara de Família do Tribunal Civil da Catalunha, quem ficaria com a guarda do corpo de José Eduardo dos Santos.

De um lado, estava Tchizé dos Santos e os irmãos mais velhos, que se opunham à entrega dos restos mortais à ex-primeira-dama e eram contra a realização de um funeral de Estado antes das eleições de 24 de agosto para evitar aproveitamentos políticos.

Do outro, estava a viúva Ana Paula dos Santos e os seus três filhos em comum com José Eduardo dos Santos, que reivindicavam também o corpo e queriam que fosse enterrado em Angola.

Na quarta-feira, o tribunal decidiu-se pela atribuição do cadáver à antiga mulher e autorizou a trasladação para Angola, depois de concluir definitivamente que José Eduardo dos Santos morreu de causas naturais.

Relacionados

África

Mais África

Patrocinados