Jornada Mundial da Juventude: obras do altar onde discursará o Papa concluídas em maio

Agência Lusa , DCT
16 nov, 19:46
Papa Francisco (Lusa)

No âmbito da empreitada para a preparação da JMJLisboa2023, a SRU está a levar a cabo a reabilitação do antigo aterro de Beirolas, a reabilitação da rede de biogás e lixiviados e a modelação do terreno, para que possam ser construídos caminhos e montadas infraestruturas

As obras para a instalação do palco/altar onde o Papa irá discursar durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJLisboa2023) deverão estar concluídas em maio do próximo ano, antecipou esta quarta-feira a Câmara Municipal de Lisboa.

A previsão foi feita hoje na Assembleia Municipal de Lisboa pelo presidente do conselho de administração da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU), António Lamas, durante uma audição sobre o plano de atividades desta empresa municipal.

“Esta empreitada [a instalação do palco/altar] está a ser preparada. Espero que seja lançada rapidamente, até ao fim do mês de novembro, e envolverá uma primeira parte, fundações, e a segunda será lançada de modo a que o altar/palco esteja pronto em maio do próximo ano”, adiantou António Lamas aos deputados municipais.

O presidente da SRU, empresa que está responsável pelas obras de adaptação do terreno que irá acolher a JMJLisboa2023 negou também a existência de biogás a ser libertado do aterro de Beirolas, quando questionado pelo deputado municipal do Movimento Partido da Terra, José Inácio Faria.

Segundo explicou António Lamas, o aterro encontra-se “encapsulado” e que as análises realizadas concluíram que “não existe risco de libertação de biogás”.

No âmbito da empreitada para a preparação da JMJLisboa2023, a SRU está a levar a cabo a reabilitação do antigo aterro de Beirolas, a reabilitação da rede de biogás e lixiviados e a modelação do terreno, para que possam ser construídos caminhos e montadas infraestruturas.

A Câmara Municipal de Lisboa dotou uma verba de 8 milhões de euros no orçamento do município para 2023 para a realização da Jornada Mundial da Juventude, segundo a proposta apresentada na terça-feira pelo vice-presidente da autarquia, Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP).

No total, a dotação da Câmara de Lisboa para a realização deste evento, que será coorganizado com o município vizinho de Loures, será de 29 milhões de euros.

A JMJ é o maior evento organizado pela Igreja Católica, tendo o anúncio da escolha de Lisboa para receber esta edição sido feito em 27 de janeiro de 2019, na Cidade do Panamá.

Inicialmente prevista para agosto de 2022, a pandemia de covid-19 determinou o adiamento da JMJ um ano.

Portugal será o segundo país lusófono, depois do Brasil, a acolher uma Jornada Mundial da Juventude, criada em 1985 pelo Papa João Paulo II (1920-2005).

O Papa Francisco é esperado em Portugal, no verão de 2023, para o encerramento da JMJ.

País

Mais País

Patrocinados