Polícia morto a tiro em protesto contra preço dos combustíveis na Jordânia

Agência Lusa , BC
16 dez 2022, 09:12
Jordânia (foto: Raad Adayleh/AP)

Nos últimos dias, várias províncias no sul da Jordânia têm sido palco de greves contra o aumento dos preços de combustíveis. Preços quase duplicaram em relação ao ano passado

Um responsável da polícia jordana foi hoje morto a tiro em protestos na província de Maan, no sul do país, palco de protestos contra o aumento dos preços dos combustíveis, anunciou a segurança geral.

“O vice-diretor de polícia da província de Maan, o coronel Abdelrazzak Aldalabih, morreu depois de ser baleado na cabeça enquanto enfrentava tumultos”, disse o organismo, em comunicado.

Os distúrbios foram "levados a cabo por um grupo de vândalos e bandidos na região de Husseiniya, na província de Maan", a cerca de 218 quilómetros a sul de Amã, acrescentou.

Ao fim da manhã, a segurança geral anunciou que outros dois elementos "foram feridos a tiro enquanto enfrentavam vândalos e manifestantes em Husseiniya”.

Nos últimos dias, várias províncias no sul da Jordânia têm sido palco de greves contra o aumento dos preços de combustíveis. O protesto começou com motoristas de camiões, mas estendeu-se a mercados e empresas.

Em alguns lugares, os manifestantes bloquearam estradas com pneus em chamas ou entraram em confronto com as forças de segurança.

Os preços quase duplicaram em relação ao ano passado, principalmente do gasóleo, geralmente usado em camiões e autocarros, e do querosene, principal combustível para o aquecimento.

Em resposta ao movimento, o Governo jordano propôs apoios aos motoristas e ajudas financeiras às famílias mais afetadas. A solução, porém, não terá satisfeito os grevistas, de acordo com a agência de notícias France-Presse.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados